Novidades
Início / Meditação da Mulher

Meditação da Mulher

Print Friendly, PDF & Email

MEDITAÇÃO DA MULHER 2018

AMOR ETERNO

DESCRIÇÃO DO LIVRO

Devocional escrito por mulheres que têm experimentado o carinho e a graça de Deus em diversos aspectos da vida. E elas desejam partilhar com você a maravilhosa sensação de ser o objeto do maior de todos os sentimentos: O Amor.


JANEIRO 2018


UM SÓ SANGUE – 16 JANEIRO 2018

De um só fez toda a raça humana para habitar sobre toda a face da terra. Atos 17:26, ARA

Com a aposentadoria, descobri o crochê. Estou aprendendo o significado de ponto de crochê simples e duplo. O melhor de tudo é que aprendi a segurar a agulha de crochê sem expor o segredo de que sou uma novata. Agora meus familiares estão encontrando maneiras delicadas de me dizer que não precisam de mais um cachecol.

Então escolhi um projeto novo, uma manta afegã. Depois de uma breve aula de minha tia, estou por conta própria com uma agulha, um novelo e um ponto de
interrogação estampado em meu rosto. Começo o crochê. Às vezes, tendo que desmanchar um erro e então reiniciar o ponto. Em breve, terei o primeiro quadrado para a manta. Ao criar outro crochê triplo, fico espantada diante de como o fio se assemelha à família de Deus. De um só, Deus fez toda a raça humana. Uma linhagem sanguínea, assim como um novelo de linha. Desde Adão e Eva até nosso mais recente netinho, todos somos seres humanos que sorriem, derramam lágrimas, cometem erros e amam apaixonadamente. Nós, os avós, olhamos para as famílias que criamos e vemos que nossos descendentes se parecem surpreendentemente conosco – nossa estrutura, nossos temperamentos e nossas falhas, bem como uma predileção por contar mentiras brancas.

Às vezes, não gostamos daquilo que vemos em nossas famílias. Mas reconhecemos o fio. Esquadrinhamos nossa árvore genealógica em busca de respostas. Empenhamo-nos em impedir que o fio fique emaranhado e nos esforçamos para que os pontos sejam firmes ao darmos exemplos corretos. No entanto, entre os pontos triplos no fio, um ponto errado desfigura a perfeição. Sim, aos poucos vou dominando um novo ponto, embora tenha cometido alguns erros. Dentro em breve, completarei outro quadrado para a manta. Apesar das falhas, meu projeto concluído ainda se parecerá com uma manta afegã. Ficará bonito. De modo semelhante, a despeito de todas as nossas falhas, Deus ainda nos reconhece como família. Somos o Seu remanescente, descendendo de nossos primeiros pais, criados no Éden, “de um só” sangue. Assim, lembre-se de que, se alguma vez for tentada a pensar que foi longe demais por causa dos pontos errados que fez, nosso Criador derramou Seu sangue – tendo assumido a forma humana – para redimir as falhas e os fracassos de Sua família. Ainda somos Dele – Seu sangue!

Annette Walwyn Michael


NUNCA DESISTA – 15 JANEIRO 2018

E esta é a confiança que temos para com Ele: que, se pedirmos alguma coisa segundo a Sua vontade, Ele nos ouve. E, se sabemos que Ele nos ouve quanto ao que Lhe pedimos, estamos certos de que obtemos os pedidos que Lhe temos feito. 1 João 5:14, 15, ARA

Conte-me alguma coisa sobre sua mãe”, pedi àquele que era meu marido fazia três dias. Para nossa lua de mel, ele planejara uma visita à região na qual havia crescido. Estávamos parados, olhando um terreno cheio de mato, no meio de um bosque nos arredores da área petrolífera de New Brunswick, onde estivera a sua casa.

Ele ficou pensativo. “Toda vez que eu visitava minha mãe, ela me contava como havia orado por mim. Eu dizia que ela podia guardar suas orações para alguém que estivesse interessado. Certa tarde, enquanto eu bebia uma cerveja e fumava, ela me disse que estava orando para que um dia eu desistisse daqueles ‘venenos’, me casasse com uma mulher cristã e seguisse os mandamentos de Deus.”

Na época, ele bebia muito, fumava dois a três maços de cigarro por dia, usava drogas regularmente e se envolvia com jogos de azar todos os dias. Seu vocabulário era temperado com palavrões e piadas sujas. Os finais de semana eram gastos em agitos com uma turma “da pesada”. Por vezes, era até cúmplice involuntário de alguma atividade criminosa! Ele ria e perguntava se sua mãe estava tomando a cerveja dele. Ele sabia quantas vezes havia tentado mudar seu estilo de vida, mas sem sucesso. “Eu sei que vai acontecer!”, ela dizia. Um mês depois, sua mãe faleceu sem ter visto nenhuma das mudanças pelas quais havia orado. Passaram-se mais três anos antes que seu filho estivesse pronto para desistir da vida que passara a aborrecer. Pela primeira vez, ajoelhou-se e orou. E nunca mais bebeu. Marcou um horário em um centro de reabilitação para dependentes químicos a fim de dar início à recuperação de sua saúde.

Começou a acreditar que Deus tinha um plano para a sua vida. Quando ele fez outra oração de entrega, Deus também o ajudou a deixar de fumar, de usar drogas, de jogar e praguejar. À medida que sua mente se tornava clara, ele teve fome de conhecer melhor a Deus. Foi aí que nossos caminhos se cruzaram, e ele me acompanhou na minha jornada cristã. Cada um dos pedidos de sua mãe foi atendido. Não desistamos nunca de confiar que Deus dará uma resposta àquilo que pedimos segundo a Sua vontade.

Vicki Mellish


OLHANDO PARA TRÁS – 14 JANEIRO 2018

Porque sou Eu que conheço os planos que tenho para vocês, diz o Senhor, planos de fazê-los prosperar e não de lhes causar dano, planos de dar-lhes esperança e um futuro. Jeremias 29:11

Lembro-me de que, quando bem pequena, minha mãe me contava que eu era um lindo bebê sorridente, de rostinho redondo, nascido em Chicago. Seis meses após meu nascimento, minha mãe deixou meu pai e se mudou novamente para Mississipi, onde seus pais moravam. Ela nunca voltou para o meu pai. Alguns meses depois da mudança, meu irmão nasceu, e nós crescemos na casa de nossos avós, onde recebemos uma boa educação cristã. Eles nos ensinavam a repetir versos da Bíblia e a dar graças antes de comer.

Sem o apoio do marido, mamãe trabalhava como doméstica e em plantações para ajudar a manter a família. Mudamo-nos bastante para cidades próximas, onde havia oferta de emprego. Enquanto minha mãe estava fora, trabalhando, meu irmão e eu cuidávamos de nós mesmos. Arrumamos um bocado de encrencas. Deus, porém, sempre interveio e nos salvou de danos e tragédias maiores.

Aos dez anos de idade, entreguei o coração a Deus e fui batizada em um riacho atrás da igrejinha chamada Monte Sião. Fiquei aterrorizada ao caminhar em direção à água. O garoto à minha frente entrou na água sorrindo e voltou sorrindo. Decidi tentar a mesma coisa, mas o sorriso se recusou a vir.

Alguns anos mais tarde, completei o Ensino Médio e me casei. Deus abençoou ao meu esposo e a mim com quatro filhos e nos tem conservado juntos há mais de 43 anos.

Nossa família tem enfrentado altos e baixos, sofrimento e dor, provas e tribulações. Em meio a tudo, percebemos que viver a vida cristã não é fácil. No entanto, aprendemos a pôr nossa confiança em Deus, apesar das dificuldades. Ele tem nos acompanhado no caminho todo, e somos testemunhas vivas de Seu amor, graça e misericórdia incondicionais.

Minha maior alegria é conhecer pessoas e dar estudos bíblicos. Meu sonho é concluir a faculdade e abrir um centro de atendimento a idosos. Oro para que, com o auxílio de Deus, esse sonho se torne realidade. Ele disse que tem planos de me fazer prosperar, na esperança e no futuro que Ele planejou. Eu reclamo essa promessa. Você também pode fazê-lo.

Martha Shields


UM MILAGRE – 13 JANEIRO 2018

Também lhes digo que se dois de vocês concordarem na Terra em qualquer assunto sobre o qual pedirem, isso lhes será feito por Meu Pai que está nos Céus. Pois onde se reunirem dois ou três em Meu nome, ali Eu estou no meio deles. Mateus 18:19, 20

A reunião campal havia acabado. Naquele domingo, eu esperava a carona que me levaria para casa.

Minha companheira de quarto entrou, sentou-se e disse: – É um milagre!

– Que milagre, Rose? – perguntei.

Ela se ergueu, caminhou rapidamente até a porta e retornou em seguida, repetindo: “É um milagre.” Sentou-se na cama do outro lado e com agilidade ergueu e baixou a perna várias vezes.

– Ai, Rose, tenha cuidado com a sua perna! – falei. Eu sabia que seu quadril estava em uma condição deplorável. O médico lhe dissera que não havia a possibilidade de ela passar por uma substituição do quadril devido à má condição dos ossos. Por causa disso, ela vivia à base de analgésicos fazia anos.

Rose me fez um relatório.

– Ao vir para a reunião campal – ela disse – estava decidida a pedir que um pastor orasse comigo e me ungisse. Mas agora é domingo, nosso último dia aqui. Então fui à capelinha perto do alojamento e simplesmente orei. De repente, algumas pessoas começaram a entrar, e achei que deveria sair. – Rose continuou contando que, antes de sair da capela, foi convidada a permanecer e aguardar uma cerimônia de unção por alguém que ela conhecia.

Enquanto Rose esperava, um dos pastores se ofereceu para orar por ela. Rose lhe contou que não podia ajoelhar-se por causa do seu problema.

– Está bem – disse o ministro. Ele então fez uma oração e a ungiu.

Rose caiu de joelhos, pôs-se em pé e pegou sua bengala. Depois de descansar numa cadeira de balanço no saguão, Rose voltou andando para o nosso quarto – e está caminhando bem desde então.

A bengala e o andador de Rose não têm mais utilidade. Verdadeiramente, Deus escolheu honrar a fé manifestada por uma de Suas filhas e operar um milagre em seu favor!

“Confia no Senhor e faze o bem; habita na terra e alimenta-te da verdade. Agrada-te do Senhor, e Ele satisfará os desejos do teu coração. Entrega o teu caminho ao Senhor, confia Nele, e o mais Ele fará” (Salmo 37:3-5, ARA).

Muriel Heppel


UM ANJO CHAMADO NICKI – 12 JANEIRO 2018

O anjo do Senhor é sentinela ao redor daqueles que O temem, e os livra. Salmo 34:7

Minha mãe e eu gostamos de sentar e conversar diante de uma xícara de chá quente. É nesses momentos que conheço um pouco mais sobre minha infância.

Meu irmão é dois anos mais velho que eu, e sempre fomos muito ligados um ao outro. Mamãe conta que minha primeira palavra foi o nome do meu irmão. Depois de acordar das minhas sonecas diárias, eu chamava meu irmão para que viesse e me tirasse do meu colchonete. Ao crescer, eu sempre corria atrás dele porque não queria só brincar com ele mas também me achava capaz de fazer o que ele fazia.

Minha família morava em uma região do interior e era proprietária de uma fazenda para pecuária de leite, que ficava em frente à nossa casa, do outro lado da estrada. Meu irmão, de quatro anos, gostava de passar horas ali com as vacas. Eu ainda era pequena demais para ter a permissão de atravessar a estrada e ir com ele. Um dia, meu irmão saiu correndo pela porta da frente, na direção do pasto. A porta da frente não se fechou da maneira devida, e eu fui atrás dele. Desci correndo os três degraus da frente e segui pela calçadinha até a estrada. Então, por alguma razão, parei de modo instantâneo. Não sei o motivo, e mamãe tampouco sabe. O que aconteceu a seguir é o que nossa vizinha, a Sra. Boyd, relatou para minha mãe.

A Sra. Boyd ouviu Nicki, seu cachorro pastor-alemão, latindo de modo incontrolável, como se tivesse urgência. Ela saiu para ver o que havia de errado com Nicki e me viu parada no meio da estrada – na faixa de um carro que vinha em alta velocidade. Ela disparou até lá, agarrando-me e me puxando para o lado e para fora do caminho do veículo que se aproximava. Então, a Sra. Boyd me conduziu de volta para casa e para minha preocupada e agradecida mãe.

Sei que minha mãe sempre orou por mim, desde que nasci. E naquele dia, especialmente, Deus respondeu às suas orações por minha segurança. Ele enviou Nicki e depois a Sra. Boyd para me resgatarem. Serei sempre grata por sua rápida reação. O anjo do Senhor estava acampado ao meu redor naquele dia. Deus está cuidando de você hoje também. A Ele devemos dar o nosso louvor pelo vigilante cuidado angelical.

Jenny Rivera


ANTES DE CLAMAREM – 11 JANEIRO 2018

Antes de clamarem, Eu responderei. Isaías 65:24

Você já viu um testemunho feito em cartolina? Com um marca-texto de cor escura, sobre um pedaço de cartolina cortado ou rasgado sem grande capricho, alguém pode expressar seu testemunho de modo nítido. Na parte da frente, a vida como ela era antes de Jesus; no verso, a vida depois de conhecer Jesus.

Incentivada por vários testemunhos em cartolina que vi no GodTube, resolvi organizar um evento de testemunhos em minha igreja. Eu também quis participar com meu próprio cartaz.

Brinquei com várias ideias, cada uma tratando de um aspecto diferente da minha história. Mas voltava sempre a um cartaz específico, sentindo-me convicta desde o início de que era ele: “Nunca lia a Bíblia” estava escrito no lado “antes” da cartolina. “Agora dou estudos bíblicos”, dizia meu testemunho no lado do “depois”, no verso.

No sábado combinado, participei, com outras pessoas, do testemunho da cartolina. Quando terminamos, nos dirigimos todos para os assentos no templo.

Imediatamente notei um casal que eu nunca tinha visto antes, e senti vontade de conhecê-los e cumprimentá-los à saída da igreja. Eu me perguntei como poderia fazer isso, pois estávamos sentados a alguma distância.

Ao final do culto, enquanto eu ficava “de olho” no casal e planejava minha estratégia, eles se levantaram. A mulher olhou ao redor. Vi que ela me localizou e veio em minha direção a passo rápido. Tudo que precisei fazer foi me colocar em pé e sair para o corredor.

Ela me alcançou e, sem rodeios, disse: –Você dá estudos bíblicos?

– Sim, dou – respondi.

– É por isso que estou aqui – ela disse. – Preciso de alguém com quem estudar a Bíblia. Ontem à noite, sentada em casa, me senti absolutamente compelida a estar na igreja hoje de manhã. Eu não podia deixar de estar aqui; a sensação era muito forte. Procurei esta igreja na internet. Esperava, de alguma forma, encontrar alguém que me ajudasse. E você segurava um cartaz! Mal pude acreditar!

Irmã, pode acreditar, pensei, mas não disse em voz alta. Isto é apenas o começo.

Carolyn K. Karlstrom


A QUEDA – 10 NOVEMBRO 2018

Porque aos Seus anjos dará ordens a teu respeito, para que te guardem em todos os teus caminhos. Eles te sustentarão nas suas mãos, para não tropeçares nalguma pedra. Salmo 91:11, 12, ARA

Uma amiga me deu um mosaico de vidro colorido como presente de Natal. Como meu escritório tem janelas em dois lados, decidi levá-lo para o trabalho. Assim que cheguei ao escritório, puxei uma cadeira e subi no balcão para poder expor meu novo presente. Ele ficou lindo lá em cima.

Desci para a cadeira, esquecendo-me de que estava usando uma saia longa. Minha bota se enroscou na barra da saia. Com a subsequente queda, minhas costas bateram no arquivo de aço, atingindo-o com tanta força que a chave dele se quebrou. Eu me endireitei, louvando a Deus por estar bem. Também agradeci ao meu anjo da guarda, que ajudou a amortecer a queda.

Esse incidente me fez lembrar de outra queda – a de Adão e Eva no belo jardim chamado Éden. As consequências de sua queda foram muito mais graves que os resultados da minha. Em vez de confiar na palavra de Deus, Eva deixou que o diabo, na forma de uma serpente, a enganasse. A curiosidade a venceu. Ela comeu do fruto e o ofereceu ao esposo, que se uniu a ela no primeiro pecado. Nenhum anjo da guarda pôde ajudar a amortecer a queda. Que dor, ruína e perda a queda do primeiro casal no jardim trouxe para este mundo nos séculos seguintes!

No entanto, assim como a dor da minha queda foi amortecida por aquilo que acredito ter sido a intervenção de um anjo da guarda, Deus já tinha um plano para intervir em favor dos Seus primeiros filhos, e em nosso favor também. Ele havia preparado o plano da salvação.

O Pai nos ama tanto que enviou Seu Filho unigênito, Jesus, para pagar o preço: não só pela primeira queda da humanidade, mas também por todo pecado hediondo cometido pelos pecadores desde então!

Devemos, assim, estar dispostos a aceitar aquilo que Deus e Seu Filho fizeram por nós e a permitir que Seu Santo Espírito nos reavive e nos ajude a nos recuperarmos da queda. Sua Palavra nos diz: “Todavia, Deus, que é rico em misericórdia, pelo grande amor com que nos amou, deu-nos vida com Cristo, quando ainda estávamos mortos em transgressões – pela graça vocês são salvos. Deus nos ressuscitou com Cristo e com Ele nos fez assentar nos lugares celestiais em Cristo Jesus” (Efésios 2:4-6).

Sharon Long (Brown)


UM DIA DE CADA VEZ – 09 JANEIRO 2018

O Senhor é o meu pastor; nada me faltará. Salmo 23:1, ARA

Mesmo sendo você uma filha de Deus, a vida irá frustrá-la. Pessoas irão se interpor negativamente em seu caminho. Você pode ter carência de alimento, vestuário, habitação adequada e apoio da família. Pode ser deixada a chorar sozinha, sem ninguém para confortá-la quando você fracassar ou animá-la a prosseguir quando for bem-sucedida. O inimigo da nossa alma fará seu melhor para desencorajá-la depois de você ter tomado a decisão de andar com Jesus e viver sua vida de acordo com a Bíblia. Sei disso porque essa tem sido a minha experiência atual.

Depois de concluir o Ensino Médio, um casal americano prometeu ajudar a pagar meus estudos na Universidade de Nanga-Eboko, em Camarões, onde me aconselharam a frequentar. Comecei o curso de enfermagem em fevereiro de 2011. Mas, quando o casal não cumpriu sua promessa, eu me vi repentinamente querendo saber como viveria, comeria e pagaria as mensalidades escolares. O que fazer? Devido à minha falta de recursos imediatos, fui removida da classe, proibida de usar a biblioteca, e até de entrar nela para estudar, e de comer no refeitório. Fui tentada a deixar a escola. Mas para onde ir? Então orei e decidi concluir aquilo que Deus me capacitara a começar.

Desde essa decisão pessoal de me apegar a Deus diante da frustração, o Todo-Poderoso tem mostrado que todas as coisas são possíveis com Ele. Sim, às vezes não tenho nada para comer, mas nunca por mais de uma semana. Já passei mais de um mês sem dinheiro. Contudo, quando passo por uma real necessidade, Deus sempre toma providências. Aqui, no colégio, minha fé cresceu. Quando enfrento uma situação difícil, sei que Deus vai resolvê-la. Quando chega a hora de sair para fazer estágio, clamo a Ele. Seja qual for minha necessidade, Ele é minha primeira e última opção. É por isso que ainda estou aqui. Dou graças a Ele por me fortalecer em tempos de dificuldade ou tristeza. Ele, de algum modo, sempre deposita dinheiro suficiente na minha conta escolar, justamente na hora certa. Parte do dinheiro das mensalidades vem da bolsa de estudos do Ministério da Mulher.

Estou aprendendo a confiar em Deus e a cultivar a paciência. Mais que tudo, estou aprendendo a ouvi-Lo e a viver com Ele durante meu quarto e último ano do curso. Que milagre! Um dia de cada vez. Se você está enfrentando problemas na vida, não chore. Não desista. Deus cuidará de você.

Flore Njiki


ATENTO AOS DETALHES – 08 JANEIRO 2018

Deleite-se no Senhor, e Ele atenderá aos desejos do seu coração. Salmo 37:4

Senhor, chegou a hora de nos mudarmos outra vez. Não peço uma casa grande, mas só quero pedir um favor. No lugar para onde nos mudaremos a seguir… seria possível, por favor, nos dar um apartamento ou casa em uma rua que tenha o nome de uma flor? Eu realmente ficaria encantada com isso!”

Meu esposo, por outro lado, orava: “Senhor, precisamos nos mudar. O aluguel, aqui, está subindo que é uma loucura. Pai, Tu conheces o valor máximo que conseguimos pagar pelo aluguel. Então, por favor, ajuda-nos a encontrar o lugar certo, nesse exato valor.”

Durante uma reunião de mulheres, uma semana mais tarde, as que estavam presentes oraram a Deus para que ajudasse nossa família a encontrar uma nova residência. Dois dias depois, a líder do Ministério da Mulher ligou para meu esposo e disse: “Meu esposo e eu gostaríamos de alugar nossa casa para vocês.” Examinamos a casa pela internet. Como era grande! Tínhamos visto casas menores do que aquela pedindo muito mais do que éramos capazes de pagar. No entanto, para sermos corteses, concordamos em ver a casa.

Nossa irmã da igreja nos recebeu e começou a nos mostrar a casa, grande e bonita. Saber que não tínhamos condições de morar ali (embora vendo todas as suas vantagens) era uma tortura para nós. Após o “tour”, nos sentamos na sala de estar com o casal, e meu esposo fez a pergunta mais importante: Quanto estavam pedindo de aluguel pela casa? Sem hesitação, a esposa respondeu com o valor exato que meu esposo, anteriormente, havia mencionado em oração e que seria a quantia razoável para nós. O casal não pediu um centavo a mais, nem um centavo a menos. Deus deve ter sorrido diante da expressão em nosso rosto. – Vocês gostariam de orar sobre isto? – perguntou a dona da casa.

– Irmã – respondeu meu esposo – nós temos orado por isto. Ficaremos com ela! – Mais tarde, soubemos que ela também estivera orando para que disséssemos “sim” à sua oferta.

Nós nos despedimos, entramos no carro e nos afastamos um quarteirão da casa que Deus havia preparado para nós. Então paramos só para louvá-Lo! Gritando. Rindo. Chorando de alívio e espanto por Ele ter nos providenciado uma bela casa, com o valor certo e na Rua Magnólia!

Não hesite em contar a Deus tudo o que está em seu coração. Ele presta atenção aos detalhes.

Sayuri Ruiz Rodriguez


O ILUMINADOR – 07 JANEIRO 2018

Lâmpada para os meus pés é a Tua palavra e luz para os meus caminhos. Salmo 119:105, ARA

Durante minha caminhada ao ar livre, em um entardecer de primavera, notei que a maioria das casas ao longo do percurso tinha luminárias nas áreas externas. O gosto pessoal, a criatividade e o estilo dos proprietários eram bem evidentes na distribuição e no posicionamento das luzes. Algumas se alinhavam ao longo da calçada, enquanto outras se estendiam pelos degraus até a porta de entrada. Várias eram colocadas ao longo das bordas dos canteiros de flores, entre as plantas ao lado da casa ou rodeando os troncos de árvores que ostentavam bela folhagem.

Ficou claro para mim que várias das luzes eram funcionais, enquanto outras eram meramente decorativas. Havia aquelas localizadas estrategicamente para revelar algum risco de tropeço ou queda. Algumas, talvez, tivessem sido intencionalmente colocadas para deter intrusos. Fossem quais fossem as razões, os muitos estilos de luzes refletiam os gostos pessoais.

Ao continuar minha caminhada, pensei naquelas luminárias. Então comecei a notar que algumas casas não tinham essas luzes, embora todas tivessem uma luminária externa colocada acima ou ao lado da porta de entrada. Outras, como a minha casa, tinham uma luz acima ou ao lado da porta dos fundos. Pensei nas diferentes funções das luzes. As luminárias ao longo da calçada mostravam apenas onde colocar o passo seguinte. Por outro lado, as luzes acima ou ao lado da porta iluminavam o caminho todo, para que a pessoa pudesse vê-lo.

O salmista Davi apresentou a Palavra de Deus como lâmpada e como luz. A Escritura é suficiente para nos guiar em meio aos cuidados e ao caos de cada dia. Permite que vejamos a jornada da vida e fixemos o nosso rumo. Quando escondemos as palavras de Deus no coração, elas se tornam a nossa Bíblia portátil.

Como é que essa luz “salva-vidas” brilha? Paulo afirma em 2 Timóteo 3:16 que a Escritura inspirada por Deus nos ensina a doutrina e a verdade; repreen­de e expõe nossa rebelião; corrige nossos erros e faltas; educa-nos para um viver correto. Essa luz que nos guia é acessível o tempo todo, permeando os pensamentos e regulando a vida. Que notável provisão fez o Pai em nosso favor, iluminando os perigos ocultos e nos guiando ao longo do traiçoeiro curso da vida! Leve-a com você hoje.

Florence E. Callender


VOCÊ CONHECE A DEUS? – 06 JANEIRO 2018

Ainda que Ele me mate, Nele esperarei. Jó 13:15, ARC

Ao longo dos anos, tenho pregado muitos sermões para minhas irmãs. Mensagens que, eu sei, Deus providenciou para elas e para mim. O título de um dos meus favoritos é “Deus Conhece o Meu Nome. Eu Conheço o Dele?” No sermão, mostro de que modo – no Salmo 139 e em outras passagens bíblicas – vemos o quanto Deus nos conhece intimamente. Não apenas como um grupo, mas individualmente. Ele conhece cada uma de nós. No entanto, a pergunta que implora uma resposta é: “Quão bem eu conheço a Deus?” E a resposta é: “Não tão bem quanto deveria.”

Faço a pergunta a você hoje: Você conhece a Deus? Quão bom é o conhecimento que você tem de quem Ele é?

Também me pergunto isso, pois meu conhecimento de Deus cresce a cada dia, mas somente se eu, de modo intencional, busco aprender mais sobre quem Ele é. Há muita informação na Bíblia a respeito de Deus. Tiago 2:19 diz: “Você crê que existe um só Deus? Muito bem! Até mesmo os demônios creem – e tremem!” Assim, saber a respeito de Deus não é algo exclusivamente nosso. Qualquer um pode encontrar alguma coisa acerca de Deus lendo a Bíblia. Entretanto, para verdadeiramente conhecer a Deus, devemos ter um relacionamento íntimo com Ele. Conhecer Seu amorável coração, Seu desejo de que todos se salvem, incluindo o viciado em drogas e o homem no corredor da morte; saber que Ele nos ama a despeito do nosso passado ou presente. Esse conhecimento começa no coração daquele que crê. Vem de uma experiência pessoal com Deus.

É desse modo que precisamos conhecer a Deus. No entanto, ficamos aquém desse conhecimento muitas vezes, ao permitirmos que as distrações da vida bloqueiem nossa visão de Deus. Um hino conhecido, escrito por Helen H. Lemmel, diz: “Fixa teus olhos no Mestre, confia no bom Salvador; fruirás, na luta terrestre, maravilhas do Seu doce amor.”

Quando volvemos os olhos para fixá-los em Jesus, nosso conhecimento de quem Ele é aumenta. Vemos o amor, experimentamos o Seu perdão e a Sua misericórdia, e aceitamos a esperança de um futuro eterno que Ele nos dá.

Então, hoje, tome tempo para volver os olhos para Aquele que a ama muito, mais do que qualquer pessoa que já viveu. Aquele que deu tudo de Si deu Sua vida por você e por mim.

É esse conhecimento experimental que nos permite saber quem é Deus.

Heather-Dawn Small


UM BELO MILAGRE – 05 JANEIRO 2018

Desde o princípio, anunciei as coisas do futuro; há muito tempo, Eu disse o que ia acontecer. Afirmei que o Meu plano seria cumprido, que Eu faria tudo o que havia resolvido fazer. Isaías 46:10, NTLH

Acredito em milagres. Realmente. Eles acontecem diariamente ao nosso redor. Alguns milagres são extraordinários; outros são silenciosos, como um pôr do sol ou o funcionamento do corpo humano. Cristo realizou muitos milagres quando esteve aqui na Terra. Ele andou sobre a água, curou enfermos, transformou água em vinho e até ressuscitou mortos.

Enfrentei um problema de saúde alguns anos atrás. A princípio, achei que ele passaria, mas, depois de discuti-lo com meu médico, percebi que seria necessário tratar o caso. Os primeiros dois procedimentos ambulatoriais falharam. Dolorosamente – eu poderia acrescentar. Decidi pedir o conselho de uma amiga médica. Ela sugeriu que eu pedisse uma segunda opinião de outro médico. Fiz isso e fiquei sabendo que minha melhor opção para tratar o problema de saúde era passar por uma cirurgia – meu maior temor.

Bem, sou enfermeira formada, trabalho na sala de cirurgia de um hospital e sei muito bem o que pode dar errado durante uma cirurgia. Pensar nessas coisas me deixou destruída. Pensei: E se alguma coisa der errado? O que fariam meus três meninos e meu esposo?

Com as orações e o apoio da família, decidi me submeter à cirurgia. Durante meu primeiro retorno para o acompanhamento, a médica entrou na sala sorrindo. Em sua mão estavam as imagens daquilo que ela havia visto dentro do meu corpo enquanto operava. Ela disse: – Shelly-Ann, se aqueles procedimentos anteriores que falharam tivessem sido bem-sucedidos, você não estaria aqui agora. Não sei por que falharam, mas fico feliz porque aquilo aconteceu. O problema, agora, está resolvido! – Olhei para ela e disse: – Eu sirvo a um Salvador ressuscitado.

De volta, em casa, olhei outra vez a imagem dos meus órgãos internos e pensei: Sou uma criação especial de Deus. O milagre de estar viva é maravilhoso.

Às vezes, Deus embeleza nossa vida respondendo de maneiras óbvias. Outras vezes, Ele realiza Seus milagres discretamente. Só mais tarde olhamos para trás e percebemos o que Ele fez por nós e, como na minha experiência, em nós. Que belo milagre Ele fez por você?

Shelly-Ann Patricia Zabala


DEUS PROVÊ – 04 JANEIRO 2018

O meu Deus suprirá todas as necessidades de vocês, de acordo com as suas gloriosas riquezas em Cristo Jesus. Filipenses 4:19

Meu esposo Dan e eu estávamos tendo uma daquelas conversas que poucos casais gostam de ter. Era a desagradável conversa sobre finanças. Eu trabalhava meio expediente como secretária da igreja, e meu esposo trabalhava em tempo integral como pastor. Também enviamos nossos dois filhos para uma escola particular, pertencente à igreja. Simplesmente não havia dinheiro suficiente para cobrir tudo. A solução para a nossa situação financeira parecia ser encontrar um segundo emprego de meio expediente para mim. Meu esposo e eu oramos a esse respeito e confiamos no auxílio de Deus.

Poucas semanas depois dessa conversa, eu estava em uma grande loja de departamentos. Tive o impulso de perguntar à vendedora se havia alguma vaga aberta na loja. A mulher disse que sim. Eu me apresentei como candidata e fui treinada sem perda de tempo.

Meu novo emprego se tornou meu campo missionário. Eu orava antes de ir trabalhar, a fim de que Deus me ajudasse a ser uma boa testemunha para Ele. Conheci muitas mulheres que tinham câncer de mama e precisavam encontrar roupa íntima confortável para usar após a cirurgia. Consegui encontrar para elas essas peças, tanto na própria loja como no catálogo on-line. Eu ouvia as histórias dessas clientes e lhes dizia que oraria por elas.

Um dia, uma mulher veio ao meu setor e perguntou se havia alguma camisola pink. Disse a ela que não tínhamos nenhuma pink no departamento, mas a loja tinha algumas camisetas elegantes, tipo camisola, no setor de roupa feminina. A mulher voltou ao meu balcão com uma camiseta. Contou que estava comprando a camiseta para sua mãe. Comentei que achava que a mãe dela gostaria da camiseta porque tinha um tom bonito de rosa. A mulher então me contou que sua mãe havia falecido, e aquela camiseta era para vesti-la, assim como seu terninho, no caixão. Imediatamente, eu lhe disse: “Ah, lamento muito! Vou orar por você.” As lágrimas brotaram em nossos olhos,
e a mulher disse: “Muito obrigada!”

Deus me arranjou aquele emprego não só para que Ele pudesse ajudar minha família financeiramente, mas também para oferecer encorajamento a outras pessoas por meu intermédio. Meu desejo é que você também seja um instrumento para animar alguém hoje.

Christa White Schiffbauer


TUDO PASSA – 03 JANEIRO 2018

Escreva: Bem aventurados aqueles que são chamados à ceia das bodas do Cordeiro. Apocalipse 19:9

Estávamos vivendo os primeiros dias do ano, e eu retirava a decoração de Natal com uma ponta de nostalgia devido às lembranças tão recentes.

Acho que nunca havia esperado com tanta ansiedade pelo Natal, mas fora tudo tão rápido. Ele havia chegado e ido embora deixando um gosto de saudade.

Era a primeira vez que minha filha casada viria nos visitar com o esposo. Dois casais de sobrinhos viriam de cidades próximas, e minha outra filha reencontraria o namorado depois de muito tempo.

Pensei em cada detalhe: providenciei mais bolas e mais luzes para a grande árvore de Natal, a guirlanda, os arranjos para as mesas, as toalhas especiais, as velas e até um pinheirinho natural na área de entrada da casa, dando as boas-vindas. Planejei o cardápio com antecedência e me empenhei para que tudo desse certo e que meus convidados tivessem as melhores refeições naqueles dias que permaneceriam conosco.

Eu havia feito todos os preparativos e agora estava contando os dias que pareciam transcorrer muito lentamente. Mantinha contato com minha filha e com os sobrinhos, combinando todos os detalhes, e orava para que tudo desse certo.

Na véspera do Natal, orei muito pela viagem deles, e foi com muita alegria que recebi um a um que ia chegando. Parecia um sonho, depois de ter aguardado esse encontro por tanto tempo.

A reunião da noite foi muito especial. Cantamos, louvando a Deus por nosso Salvador. Meu esposo leu a Bíblia, nos relembrando sobre os detalhes daquele dia especial em que Jesus veio ao mundo, oramos e nos alegramos como família. A ceia completou nossa confraternização. Porém, após toda essa alegria, todos precisaram voltar às suas cidades.

A casa ficou vazia e silenciosa, e eu retirava agora a decoração, que havia sido feita com tanto esmero. Guardei cada item, esperando poder reutilizá-lo no próximo Natal, querendo sentir a mesma alegria que experimentara dias atrás.

Meus pensamentos se voltaram então para os preparativos que Jesus tem feito, para a grande ceia com os Seus filhos. Pensei em quanto tempo Ele tem aguardado por esse encontro e quanta saudade Ele deve sentir de estar com os Seus filhos que Ele resgatou, pagando elevado preço no Calvário.

Pensei também em quantas mensagens Ele nos tem enviado por meio de Sua palavra, lembrando-nos de que o encontro está próximo, e apelando por intermédio do Seu Espírito.

Será que estamos ansiosos pelo encontro? Quando ele ocorrer, não mais esperaremos por reuniões de família onde podemos nos alegrar por um curto espaço de tempo. Estaremos para sempre reunidos, desfrutando a alegria da eternidade com nosso amado Redentor.

Regina S. Nunes


NOVOS COMEÇOS – 02 JANEIRO 2018

E Aquele que está assentado no trono disse: Eis que faço novas todas as coisas. E acrescentou: Escreve, porque estas palavras são fiéis e verdadeiras. Apocalipse 21:5, ARA

Certa noite, mudei a foto do meu perfil no Facebook. Antes era a foto que eu havia tirado de uma borboleta-monarca. Dessa vez, decidi exibir outra das minhas fotografias, que é a de uma borboleta-monarca no estágio de crisálida. Você consegue realmente ver a monarca na crisálida! Pela manhã, quando abri o Facebook, várias amigas haviam deixado comentários sobre a nova foto do meu perfil. Alguns deles foram: “Uau! Novos começos!”, “Obra de Deus!”, “Linda!”, “Isso é impressionante! Meu desejo para este novo ano é que Deus me torne uma nova criatura.”

Se alguém dissesse a você: “Feche os olhos e conte o que lhe vem à mente quando eu digo ‘novos começos’”, o que você responderia? Aqui está a minha lista: Início do ano letivo. Um bebê. O amanhecer. Acordar. Batismo. Borboletas.

O interessante é que escolhi a foto da borboleta-monarca para expor minhas habilidades como fotógrafa. Depois percebi como era apropriado usar essa foto para começar o novo ano. Ela é apropriada porque todo mundo (creio eu) tem conhecimento do ciclo de vida da borboleta. Toda borboleta começa com um ovo. Depois, passa a ser uma lagarta. O terceiro estágio é a crisálida; e o quarto, a borboleta. Embora algumas possam diferir em cor ou hábitos alimentares, todas elas passam pelo mesmo ciclo de vida. Aquilo que surge depois do estágio da lagarta é uma criatura bela, incrível, que só Deus poderia fazer.

Em Apocalipse 21, João descreve a visão que Deus lhe deu sobre um novo Céu e uma nova Terra. Por que precisaríamos de um novo Céu? No livro Patriarcas e Profetas, de Ellen G. White, lemos: “Quando a Terra saiu das mãos de seu Criador, era extraordinariamente bela. Variada era a sua superfície, contendo montanhas, colinas e planícies, entrecortadas por majestosos rios e formosos lagos; as colinas e montanhas, entretanto, não eram abruptas e escabrosas […]. Não havia asquerosos pântanos nem áridos desertos” (p. 44). A morte, as lágrimas e a tristeza eram inexistentes. Esses males constituem agora parte deste mundo de tal maneira que, para removê-los, Deus precisa fazer novas todas as coisas. Ecoando as palavras da minha amiga, quero dizer: “Isso é impressionante! Meu desejo para este novo ano é que Deus me torne uma nova criatura.” Se Ele pode fazer isso por uma lagarta, pode fazê-lo por você.

Dana M. Bean.


O BEBÊ DO DIA DE ANO NOVO –  01 JANEIRO 2018

“Antes de clamarem, Eu responderei; ainda não estarão falando, e Eu os ouvirei”. Isaías 65:24

Era o primeiro dia do novo ano. Assim que cheguei à ala de obstetrícia onde trabalhava, percebi, pelos sons que vinham de uma das salas de parto, que um bebê estava para nascer. Ele chegou em tempo para o desjejum – robusto, saudável e pronto para sua primeira refeição. No meio da manhã, o capelão do hospital, Danny Parada, chegou para visitar meus pacientes. Depois de fazer seu giro, dirigiu-se a mim e disse que a mãe que dera à luz naquela manhã não tinha nada em casa, exceto uma caixa onde o bebê iria dormir.

—Você sabe de algum berço que essa
mãe possa ganhar ou tomar emprestado? – ele perguntou.

—Não – respondi – mas, se você me der um tempo, vou fazer uns telefonemas. – A primeira pessoa para quem telefonei foi a diretora do centro de serviço comunitário local. Eu sabia que o centro não era grande o suficiente para armazenar móveis; mas, às vezes, a diretora sabia de coisas que as pessoas estavam dispostas a doar. Pelo telefone, ela me contou que, uma hora antes, havia recebido o telefonema de uma amiga, declarando que sua nora desejava se desfazer de um berço. Quando liguei para essa nora, ela ficou encantada por encontrar alguém que poderia usar o berço, e ela mesma se dispôs a fazer a entrega.

A nova mãe se emocionou com a notícia que lhe dei. Quando perguntei qual era o endereço para a entrega, ela hesitou por um momento e depois perguntou se a entrega poderia ser adiada até que ela voltasse para casa. Seu esposo era presidiário. Felizmente, outras providências foram tomadas quanto ao sucesso da entrega e da montagem do berço. Posteriormente, naquela tarde, a doadora me telefonou no trabalho para perguntar se aquela mamãe usaria roupas de cama para o berço e um acolchoado para a proteção da grade. Quando lhe respondi que sim, ela perguntou:

—O bebê é menino ou menina? Tenho roupas de meninos para doar.
—É um menino! – informei, eufórica. —E ele tem outros dois irmãos em casa. Eles vão aproveitar qualquer qualquer peça de roupa que você tiver para compartilhar.

Que linda maneira de iniciar um novo ano! Ao começar este ano com o seu amorável e solícito Deus, tenha em mente os caminhos e eventos que Ele apresenta para suprir não só as suas necessidades, como também as de outras pessoas – por seu intermédio.

Shirley A. Thomas

Deixe seu Comentário
Whatsapp Online!