Inicio / 10 DIAS E 10 HORAS DE JEJUM E ORAÇÃO 2019 / Estudos dos Temas dos Dez Dias e Dez Horas de Oração e Jejum

Estudos dos Temas dos Dez Dias e Dez Horas de Oração e Jejum

image_pdfFazer Downloadimage_print


logo primeiro deus

10-dias-de-oracao

“A restauração e reerguimento da humanidade começam no lar. A obra dos pais é a base de toda outra obra. A sociedade compõe-se de famílias, e é o que a façam os chefes de família. Do coração ‘procedem as saídas da vida’ (Provérbios 4:23); e o coração da comunidade, da igreja e da nação é o lar. A felicidade da sociedade, o êxito da igreja e a prosperidade da nação dependem das influências domésticas.”

Ciência do Bom Viver, p. 349


HOJE É O DIA

Uma multidão curiosa acompanhava o caso à distância. Um time de futebol juvenil, que comemorava uma festa de aniversário, se viu dominado pelo horror ao fi car preso em uma caverna na Tailândia. As chuvas inesperadas e a inundação seguinte encerraram os 12 meninos e seu treinador a 1 km da superfície e a 4 km da entrada da caverna. Angustiados, na escuridão, sem água nem comida e com pouco oxigênio, eles não tinham chance de sair por conta própria. Em contraste com a multidão de espectadores que acompanhava o desfecho do caso, uma equipe de aproximadamente mil pessoas estava no local, todas comprometidas, de uma maneira ou outra, com as tarefas do resgate. Em 7 de julho de 2018, duas semanas após o desaparecimento dos meninos, Narongsak Osottanakorn, governador da província e chefe das operações, disse: “Não há outro dia em que estejamos mais preparados do que hoje”, e começou o resgate com uma equipe especializada de mergulhadores. Nosso mundo é uma grande caverna, inundado pelo pecado e envolto na mais densa escuridão. É claro que o resultado será a destruição final. É essencial e urgente encarar o resgate. Os alimentos, os recursos, o oxigênio e a própria vida são limitados. Não há outro dia em que estejamos mais preparados para o resgate do que hoje. O Senhor definiu claramente nosso desafio para este tempo final da história. Como fi lhos de Deus, somos Sua equipe de resgate. A caverna escura, fria e úmida não é o destino final dos fi lhos do Senhor. Fazer discípulos é o imperativo da comissão evangélica. Com toda a autoridade no Céu e na Terra, Jesus ordena ir e discipular em todas as nações, ensinando a guardar todas as coisas que Ele ordenou e batizando em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Para cumprir esse imperativo, somos amparados por Sua promessa diária até o fi m de tudo (Mt 28:18-20). Todos envolvidos para alcançar todos. Como na caverna da Tailândia, o tempo de oportunidades está terminando. Somos parte de uma multidão de espectadores curiosos que acompanha à distância o desenlace do conflito entre o bem e o mal? Ou somos parte da equipe de resgate ousada que se sacrifica ao deixar sua zona de conforto, arriscando a vida e, como Jesus, vivendo para buscar e salvar o que está perdido? Entendemos que hoje é o dia para aprofundar nossa comunhão com Deus, fortalecer os relacionamentos e terminar a missão? O Senhor nos desafia por meio dos escritos inspirados por Ele mesmo: “Cristo não fez um serviço limitado. Não mediu o trabalho por horas. Seu tempo, Seu coração, Sua alma e força foram dados ao trabalho para o bem da humanidade. Passava os dias em trabalho fatigante; transcorria longas noites prostrado em oração, pedindo graça e paciência para poder fazer um trabalho mais amplo. Com fortes gemidos e lágrimas, dirigia Suas petições ao Céu, para que fosse fortalecida Sua natureza humana, a fim de estar preparado para lutar contra o inimigo e fortalecido para cumprir a missão de melhorar a humanidade. Cristo disse a Seus obreiros: ‘Eu vos dei o exemplo, para que, como Eu vos fiz, façais vós também’” (A Ciência do Bom Viver, p. 500). Que os 10 Dias de Oração e 10 Horas de Jejum, bem como os 30 dias seguintes, nos permitam refletir e nos unir em oração por nossas necessidades e desafios. Que as declarações do Senhor, analisadas e estudadas nos momentos de comunhão pessoal, nos pequenos grupos ou nas reuniões nas igrejas, nos ajudem a escolher diária e permanentemente “Primeiro Deus”, a fim de que todos estejamos comprometidos no tempo do fim, pois hoje é o dia de todos nos envolvermos e sermos protagonistas da maior operação de resgate de todos os tempos.
Maranata!


PRIORIDADE

A prioridade da Divisão Sul-Americana é ter mais membros orando e estudando a Bíblia diariamente. O plano da Igreja Adventista do Sétimo Dia em nível mundial começa com duas palavras: “Primeiro Deus”. Por essa razão, participamos dos 10 Dias de Oração e 10 Horas de Jejum, um período de ênfase espiritual para ser desfrutado a cada ano. Sobre os benefícios dessa comunhão, Ellen G. White escreveu:
“É impossível à pessoa prosperar enquanto a oração não for o especial exercício da mente” (Testemunhos Para a Igreja, v. 2, p. 189). “É impossível avaliar os bons resultados de uma hora, ou mesmo de meia hora diária, dedicada à Palavra de Deus” (Conselhos Sobre a Escola Sabatina, p. 43). “O tempo dedicado ao estudo da Palavra de Deus e à oração trará lucro centuplicado” (Nos Lugares Celestiais, p. 135).
É por isso que, após os 10 Dias de Oração, incentivamos a meditação na Palavra de Deus durante 30 dias, tendo como base o projeto Reavivados por Sua Palavra, que propõe a leitura diária de um capítulo da Bíblia. Nosso objetivo neste ano pode ser resumido na seguinte frase: “Todos comprometidos no tempo do fi m.” A graça de Cristo nos salva e nos faz sacerdotes, conforme o apóstolo Pedro anuncia triunfantemente: “Vós, porém, sois raça eleita, sacerdócio real, nação santa, povo de propriedade exclusiva de Deus, a fi m de proclamardes as virtudes Daquele que vos chamou das trevas para a Sua maravilhosa luz” (1Pe 2:9). Com base nessa promessa, Lutero proclamou o conhecido “sacerdócio de todos os crentes”, em que os privilégios e deveres dos antigos sacerdotes são atribuídos a todo aquele que é salvo por Cristo. A grande questão é que estamos diante dos últimos momentos da história, sendo testemunhas das mais graves crises que assolam o mundo, como guerras, fomes, desastres naturais, caos moral, colapso ecológico, etc. Este é um tempo decisivo, em que precisamos nos dedicar a salvar pessoas, antes que seja tarde demais. É, sem dúvida, uma responsabilidade; ainda mais, porém, um privilégio! Contudo, para aquecer o mundo com o amor de Cristo, precisamos buscar fogo no altar da comunhão. Nesse sentido, encontramos a seguinte promessa do Senhor Jesus: “Se vocês permanecerem em Mim, e as Minhas palavras permanecerem em vocês, pedirão o que quiserem, e lhes será concedido. Meu Pai é glorificado pelo fato de vocês darem muito fruto; e assim serão Meus discípulos” (Jo 15:7, 8, NVI). A Bíblia afirma que Deus ouve as orações daqueles que se dispõem a salvar outras pessoas. Em Colossenses 4, o apóstolo Paulo harmoniza bem a relação entre comunhão e ação, demonstrando isso na prática. Primeiramente, ele pede que os irmãos perseverem na oração por ele (v. 2), a fim de que Deus abra uma porta para a pregação do evangelho (v. 3). Aberta a porta, deveriam orar para que fosse manifestado a Paulo o que falar (v. 4), e que eles mesmos também se comprometessem a andar “com sabedoria para com os que são de fora”, aproveitando as oportunidades (v. 5) e usando palavras agradáveis, que abençoassem as pessoas (v. 6). Fantástico, não? Tudo começa com uma oração perseverante que leva à abertura de portas e, por fim, a um testemunho sábio e agradável. Portanto, lembre-se: “Primeiro Deus”! Coloque o Senhor em primeiro lugar em sua vida, família e igreja, no começo do dia e em todas as decisões. Que isso se estenda a outras pessoas por meio de seus dons espirituais. Ore e suplique para que Ele abra portas, pondo pessoas em seu caminho para conhecerem mais do amor de Cristo e da esperança da vida no Céu. Alegre-se pelos privilégios recebidos como sacerdote representante de Cristo neste mundo. Diante disso, reflita no seguinte desafio espiritual: peça a Deus para levar uma pessoa ao batismo este ano. Ele pode e quer guiar você nesse propósito. Confie Nele. Que a comunhão, o relacionamento e a missão sejam sua prioridade ao fazer um novo discípulo em 2019!


PALAVRA AO ELEITOR

Era uma tarde nublada em uma cidade do Rio Grande do Sul. Eu trabalhava em uma avenida comercial bem movimentada, levando livros e revistas que pregavam a mensagem da volta de Jesus. Enquanto apresentava meu trabalho a um comerciante, de repente, ele me interrompeu com uma pergunta à queima-roupa: “Você veste a camisa?” Surpreso, mas entendendo que ele me perguntou se eu acreditava no que fazia, respondi prontamente e com convicção: “Sim.” Ao que ele devolveu: “Então, pode continuar.” Isso ocorreu há 20 anos. Eu cursava o primeiro ano de Teologia e encarei aquele fato do ponto de vista do trabalho que eu realizava e da missão maior da qual ele fazia parte. Pensei no “ide” de Cristo, na convocação que Ele nos faz para pregar o evangelho. Refleti sobre o comprometimento e a dedicação que essa missão requer, da mesma forma que se espera muito suor de um atleta em ação. Afinal, as pessoas enxergam brilho em nossos olhos? Leem amor genuíno em nossas palavras? Sentem segurança em nossas ações? E mais: Se Jesus voltasse hoje, você teria certeza de que fez tudo o que podia por seu semelhante? É inegável que o mundo está se desintegrando. Lemos, ouvimos e assistimos “Mateus 24” todos os dias nos noticiários. Crises se sobrepõem umas às outras e se agravam ano após ano. Já não estamos no tempo do fim, mas no fim do tempo do fim. O que mais falta acontecer? A igreja já realizou muito, mas ainda não atuou plenamente, pelo poder do Espírito, conforme a profecia indica (Mt 24:14; Ap 14:6, 7). O evangelho ainda não foi pregado a todas as línguas e povos. Muitos são batizados, porém a maioria se acomoda, enquanto somente alguns se envolvem de verdade. O que falta? “Vestir a camisa”! Com amor, energia, dedicação e vontade queremos ver a igreja avançar mais e mais rumo à glória. Para que isso aconteça, precisamos ter uma comunhão viva com nosso Deus e um compromisso real com a missão. Foi pensando nisso que este material foi preparado. Primeiro Deus nos convida a refletir sobre nossa condição espiritual, buscando, pelo poder do Espírito Santo, forças para uma mudança decisiva. A primeira seção reúne citações de Ellen White selecionadas cuidadosamente, com uma abordagem variada, em torno de nosso papel no tempo do fim. A segunda seção traz uma novidade, atendendo a pedidos: a preparação de comentários que iluminam e aprofundam o capítulo do dia. Foram baseados em estudos da língua original, bem como na consulta de diversas obras. As perguntas conduzem à aplicação prática das lições espirituais. Que você, seus amigos e sua igreja cresçam na graça e na comunhão com Deus por meio deste projeto. Organizem grupos, estudem e orem juntos! Que tudo isso se traduza em decisões rumo ao Céu, com ações práticas aqui na Terra.

Bênçãos na jornada!


TEMA 01: HORA DE AGIR

  • ACONTECIMENTOS SOLENES

Estamos diante de importantes e solenes acontecimentos. As profecias estão em cumprimento. Uma estranha e acidentada história está sendo registrada nos livros do Céu. Tudo em nosso mundo se mostra em estado de agitação. Há guerras e rumores de guerras. As nações estão iradas, e é chegado o tempo de os mortos serem julgados. Os acontecimentos se sucedem, alternando-se e apressando o dia de Deus, que está muito próximo. Só nos resta, por assim dizer, um pequeno instante (Testemunhos Para a Igreja, v. 6, p. 14).

  • ENQUANTO HÁ TEMPO

Quando a tempestade da ira de Deus irromper sobre a Terra, quão terrível será a decepção daqueles cujas casas hão de ser arrebatadas porque estavam fundadas sobre areia! Devemos lhes apresentar a divina advertência antes que seja tarde demais! Devemos sentir agora nossa responsabilidade de trabalhar com intenso fervor, a fim de comunicar a outros as verdades que Deus nos tem revelado para o tempo atual. Sempre podemos fazer um pouco mais.

O coração de Deus se comove. As pessoas são muito preciosas a Seus olhos. Foi por este mundo que Jesus chorou em agonia – por este mundo foi crucificado. Deus deu Seu Filho unigênito para salvar pecadores, e quer que nos amemos uns aos outros como Ele nos amou. Sua vontade é que os que têm o conhecimento da verdade comuniquem esse conhecimento a seus semelhantes.

Agora é o tempo de proclamar a última advertência. Uma virtude especial acompanha presentemente a proclamação dessa mensagem; mas por quanto tempo? – Só por um pouco de tempo ainda. Se deve haver uma crise, essa crise é justamente agora (Testemunhos Para a Igreja, v. 6, p. 16).

  • FIRMES NA VERDADE

Nenhuma mudança deverá efetuar-se nos traços gerais de nossa obra. Deve permanecer clara e distinta como foi criada pela profecia. Não nos compete entrar em aliança com o mundo, supondo com isso poder levar a melhor. Se alguém cruzar o caminho a fim de atrapalhar o avanço da obra nas linhas que Deus lhe traçou, incorrerá no desagrado divino. Nenhum traço da verdade que tornou o povo adventista do sétimo dia o que ele é, deve ser apagado. Temos antigos marcos da verdade, da experiência e do dever, e cumpre-nos defender firmemente nossos princípios diante do mundo.

Importa levantarem-se homens que apresentem a todos os povos as Escrituras de Deus. Homens de todas as classes e de todas as capacidades, com seus variados dons, devem cooperar harmonicamente para um resultado comum. Deverão se unir no esforço de levar a verdade a todo o povo, cumprindo cada qual sua missão especial (Testemunhos Para a Igreja, v. 6, p. 17).

  • UM CHAMADO PESSOAL

A cada dia, o tempo de graça de alguém se encerra. A cada hora, alguns passam para além do alcance da misericórdia. E onde estão as vozes de aviso e rogo, mandando o pecador fugir desta condenação terrível? Onde estão as mãos estendidas para o fazer retroceder do caminho da morte? Onde estão os que com humildade e fé perseverante intercedem junto a Deus por ele? (Patriarcas e Profetas, p. 140).

Ninguém pense que tem o direito de cruzar os braços e não fazer nada. Que alguém possa ser salvo estando na indolência e inatividade é uma completa impossibilidade. Pensai no que Cristo fez durante Seu ministério terrestre. Quão fervorosos, quão incansáveis foram Seus esforços! Não permitia que coisa alguma O desviasse do trabalho que Lhe fora dado. Estamos seguindo Suas pisadas? (Serviço Cristão, p. 83).

Não há um inativo no Céu, e ninguém entrará nas bem-aventuradas mansões que tenha deixado de demonstrar amor para com Cristo, que não tenha envidado esforços para a salvação de outros (Testemunhos Para Ministros e Obreiros Evangélicos, p. 208).

  • A MAIOR HONRA

A mensagem da justiça de Cristo há de soar desde uma até a outra extremidade da Terra, a fi m de preparar o caminho ao Senhor. Essa é a glória de Deus com que será encerrada a mensagem do terceiro anjo (Eventos Finais, p. 200).

  • VIGIAR E ADVERTIR

Deus sempre tem dado aos homens advertência dos juízos por vir. Aqueles que tiveram fé na mensagem por Ele enviada para seu tempo, e agiram segundo sua fé, em obediência a Seus mandamentos, escaparam aos juízos que caíram sobre os desobedientes e incrédulos. A Noé veio a palavra: ‘Entra na arca, tu e toda a tua casa, porque reconheço que tens sido justo diante de Mim no meio desta geração.’ Noé obedeceu, e foi salvo. […] Assim agora estamos dando aviso da segunda vinda de Cristo e da destruição impendente sobre o mundo. Os que ouvirem a advertência serão salvos. Como não sabemos o tempo exato de Sua vinda, somos advertidos a vigiar. ‘Bem-aventurados aqueles servos, os quais, quando o Senhor vier, achar vigiando!’

(Lc 12:37). Os que vigiam, à espera da vinda do Senhor, não aguardam em ociosa expectativa. A expectação da vinda do Senhor fará os homens temerem-No, bem como a Seus juízos contra a transgressão. Deve despertá-los para o grande pecado de Lhe rejeitar os oferecimentos de misericórdia. Os que aguardam o Senhor, purificam a alma pela obediência à verdade. Com vigilante espera, combinam ativo serviço. Como sabem que o Senhor está às portas, seu zelo é avivado para cooperar com as forças divinas para salvação de pessoas. […] Como Enoque, Noé, Abraão e Moisés, cada um declarou a verdade para seu tempo, hão de os servos de Cristo agora dar a especial advertência para sua geração (O Desejado de Todas as Nações, p. 634).

  • DEVEMOS AGIR AGORA

É preciso acionar um alarme através da extensão e largura da Terra; dizer ao povo que o dia do Senhor está perto e se apressa grandemente. Ninguém fi que por advertir. Poderíamos nos achar no lugar dessas pessoas que se encontram em erro. Poderíamos ter sido colocados entre os que não tiveram contato com o cristianismo. Segundo a verdade que recebemos mais que os outros, somos nós devedores e devemos comunicá-la aos demais.

Não temos tempo a perder. O fi m está próximo. Em breve a ida de um lugar para outro a fi m de transmitir a verdade será cercada de perigos à direita e à esquerda. […] Cumpre-nos olhar de frente nossa obra, e avançar o mais depressa possível em luta intensa. […] Temos agora advertências que nos é possível dar, uma obra que nos é concedida fazer; em breve, porém, será mais difícil do que podemos imaginar. Ajude-nos, Deus, a conservar-nos na vereda da luz, trabalhar com os olhos fi xos em Jesus, nosso Líder, e, paciente e perseverantemente, avançar para a vitória (Testemunhos Para a Igreja, v. 6, p. 22).

  • MOTIVO DE ORAÇÃO

1. Reavivamento pessoal.

2. Uma pessoa específica com quem estou estudando a Bíblia, ou quero estudar, para que se decida pelo batismo.


TEMA 02: CHAMADOS PARA SER LUZ

  • A IGREJA E O AMOR DIVINO PELO MUNDO

Embora existam males na igreja, e tenham de existir até ao fim do mundo, a igreja destes últimos dias há de ser a luz do mundo poluído e desmoralizado pelo pecado. A igreja, débil e defeituosa, precisando ser repreendida, advertida e aconselhada, é o único objeto na Terra ao qual Cristo confere Sua suprema consideração. […]

Deus tem na Terra uma igreja que está erguendo a lei pisada a pés e apresentando aos homens o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo. A igreja é depositária das abundantes riquezas da graça de Cristo, e pela igreja será finalmente exibida a última e plena manifestação do amor de Deus ao mundo, que deve ser iluminado com Sua glória. A oração de Cristo, de que a igreja fosse uma, como Ele e o Pai eram um, será afinal atendida. Será conferido o rico dom do Espírito Santo, e, por seu constante suprimento aos filhos de Deus, eles se tornarão testemunhas no mundo do poder de Deus para salvação (A Igreja Remanescente, p. 46).

  • CIDADES ENVOLVIDAS PELO MAL

Ao considerar as condições das cidades que se acham tão positivamente sob o poder de Satanás, eu interrogo a mim mesma: Qual será o fim destas coisas? A impiedade em muitas cidades está aumentando. O crime e a iniquidade operam em todas as partes. Novas espécies de idolatria estão sendo continuamente introduzidas na sociedade. Em cada nação, a mente dos homens se dedica à invenção de alguma novidade. Atos precipitados e confusão mental aumentam em todas as partes. Certamente, as cidades da Terra estão se tornando semelhantes a Sodoma e Gomorra (Evangelismo, p. 29, 30).

  • CALAMIDADES ATUAIS

Os dias em que vivemos são solenes e importantes. O Espírito de Deus está, gradual mas seguramente, sendo retirado da Terra (Evangelismo, p. 31).

Pragas e juízos já estão caindo sobre os desprezadores da graça de Deus. As calamidades em terra e mar, as condições sociais agitadas, os rumores de guerra, são portentosos. Prenunciam as proximidades de acontecimentos da maior importância (Evangelismo, p. 32).

Tremendas provas e aflições aguardam o povo de Deus. O espírito de guerra está incitando as nações de um a outro canto da Terra (Testemunhos Para a Igreja, v. 9, p. 17).

  • O CLAMOR PELAS CIDADES

Como um povo, necessitamos apressar o trabalho nas cidades, trabalho este que tem sido atrasado por falta de obreiros e de meios, bem como de espírito de consagração. Neste tempo, o povo de Deus precisa volver o coração inteiramente a Ele, porquanto o fim de todas as coisas está próximo. Precisa humilhar seu entendimento e atentar para a vontade do Senhor, trabalhando com o mais ardente desejo de fazer aquilo que Deus tem mostrado que deve ser feito, no sentido de advertir as cidades quanto à iminente destruição (Evangelismo, p. 30).

  • PRECISAMOS DESPERTAR

O povo que pretende obedecer à verdade acha-se adormecido. Não poderiam estar tão à vontade como estão, caso estivessem despertos. […]

Há multidões descendo à ruína; o povo que tem recebido luz e verdade não passa de uma minoria para conter todo o exército do mal; todavia, esse pequenino grupo está devotando suas energias a qualquer coisa e a tudo, menos a aprender como salvar almas da morte. […] Brincarão ainda com os mais sagrados legados do Céu? Dirão porventura como Caim: “Sou eu guardador do meu irmão?” (Gn 4:9) (Testemunhos Para a Igreja, v. 5, p. 458, 459).

  • DEDICAÇÃO REDOBRADA

Em todas as épocas foi requerido dos seguidores de Cristo vigilância e fidelidade; mas agora que nos achamos no limiar do mundo eterno, possuindo as verdades que temos, de posse de tão grande luz, de uma obra tão importante, cumpre-nos dobrar a dedicação. […] Você tem conhecimento da verdade? Transmita-o aos outros (Testemunhos Para a Igreja, v. 5, p. 460, 461). Irmãos, Deus não lhes confiou recursos para ficarem ociosos, nem para serem cobiçosamente re- tidos ou escondidos, mas empregados no avanço de Sua causa, para salvar os perdidos. […] Vocês não podem discernir os sinais dos tempos? (Testemunhos Para a Igreja, v. 5, p. 465).

  • DESPRENDIDOS COMO JESUS

Apelo novamente para os membros da igreja, para que sejam cristãos, para que sejam semelhantes a Cristo. Jesus foi um obreiro, não para Si mesmo, mas para os outros. Ele trabalhou a fim de beneficiar e salvar os perdidos. Se vocês são cristãos, imitarão o exemplo de Cristo. Ele pôs o fundamento, e nós somos construtores juntamente com Ele (Testemunhos Para a Igreja, v. 5, p. 466).

  • VIGIAS E PORTADORES DE LUZ

Em sentido especial foram os adventistas do sétimo dia postos no mundo como vigias e portadores de luz. A eles foi confiada a última mensagem de advertência a um mundo a perecer. Sobre eles incidiu a maravilhosa luz da Palavra de Deus. Foram incumbidos de uma obra da mais solene importância: a proclamação da primeira, segunda e terceira mensagens angélicas. Nenhuma obra há de tão grande importância. Não devem eles permitir que nenhuma outra coisa lhes absorva a atenção. As mais solenes verdades já confiadas a mortais nos foram dadas, para as proclamarmos ao mundo. A proclamação dessas verdades deve ser nossa obra. O mundo precisa ser advertido, e o povo de Deus deve ser fi el à missão que lhe foi confiada. Não se deve empenhar em especulações, nem entrar em empresas comerciais com incrédulos; pois isso dificultará realizar a obra que Deus lhes confiou (Testemunhos Para a Igreja, v. 9, p. 19).

  • ALEGRIA ETERNA: VER PESSOAS SALVAS

Gloriosa será a recompensa concedida quando os fiéis obreiros estiverem reunidos ao redor do trono de Deus e do Cordeiro. […] Acham-se diante do trono, significando que estão aceitos. Todos os seus pecados estão apagados, tiradas todas as suas transgressões. Agora, podem olhar para a plena glória do trono de Deus. Participaram dos sofrimentos de Cristo, foram coobreiros Seus no plano da redenção e partilham com Ele da alegria de ver pessoas salvas mediante sua atuação a louvarem a Deus por toda a eternidade (Testemunhos Para a Igreja, v. 5, p. 467).

  • MOTIVO DE ORAÇÃO

1. Reavivamento da minha família.

2. Uma pessoa específica com quem estou estudando a Bíblia, ou quero estudar, para que se decida pelo batismo.


TEMA 03 XCHARX VIDA DEVOCIONAL E COMPROMETIMENTO

  • CONFIANÇA E RENÚNCIA

Que sublime amor e condescendência! Quando não tínhamos direito à misericórdia divina, Cristo esteve disposto a assegurar nossa redenção! Mas nosso grande Médico requer submissão incondicional. Jamais devemos prescrever o remédio para nosso próprio caso. Cristo deve ter completo domínio sobre a vontade e as ações.

Muitos não são sensíveis à própria condição e perigo, e há muito na natureza e procedimento da obra de Cristo que é avesso a cada princípio mundano e oposto ao orgulho do coração humano. Jesus requer de nós que nos entreguemos inteiramente em Suas mãos e confiemos em Seu amor e sabedoria. […]

Devemos renunciar nossa própria justiça e suplicar que nos seja imputada a justiça de Cristo. Precisamos confiar inteiramente em Cristo no que diz respeito a nossa força. O próprio eu tem de morrer. Precisamos reconhecer que tudo o que temos provém das insuperáveis riquezas da graça divina. Seja esta a linguagem de nosso coração: “Não a nós, Senhor, não a nós, mas ao Teu nome dá glória, por amor da Tua benignidade e da Tua verdade” (Sl 115:1) (Testemunhos Para a Igreja, v. 5, p. 219).

  • AFASTAMENTO DO PECADO

Agora, enquanto se prolonga o tempo da graça, enquanto ainda se ouve a voz da misericórdia, é o tempo de afastarmos os nossos pecados. Enquanto a escuridão moral cobre a Terra como um manto negro, a luz dos refletores de Deus deve brilhar com a maior intensidade, marcando o contraste entre a luz celestial e a as trevas de Satanás. […]

Você está pronto? Usando a veste nupcial? Essa vestimenta jamais cobrirá o engano, a impureza, a corrupção ou a hipocrisia. O olhar de Deus está sobre você, discernindo os pensamentos e propósitos do coração. Podemos encobrir nossos pecados aos olhos humanos, mas nada podemos ocultar de nosso Criador.

Deus não poupou Seu próprio Filho, mas O entregou à morte por nossas ofensas e ressuscitou-O para nossa justificação. Por meio de Cristo podemos apresentar nossas petições ao trono da graça. Por Seu intermédio, indignos como somos, podemos obter todas as bênçãos espirituais. Iremos a Ele para conseguir a vida?

Como conheceremos por nós mesmos a bondade de Deus e Seu amor? O salmista não nos diz: Ouvi, e conhecei, lede e sabei, ou crede e sabei. O que ele nos diz é: “Provai e vede que o Senhor é bom” (Sl 34:8). Em vez de confiar na palavra dos outros, prove-O por você mesmo (Testemunhos Para a Igreja, v. 5, p. 220, 221).

  • VIGILÂNCIA E PREPARO ESPIRITUAL

Considerando a brevidade do tempo, nós como povo devemos vigiar e orar, e em caso algum permitir que sejamos desviados da solene obra de preparo para o grande acontecimento à nossa frente. Como o tempo aparentemente se estende, muitos se tornam descuidados e indiferentes em relação a suas palavras e ações. Não reconhecem o perigo em que se acham e não veem nem compreendem a misericórdia de nosso Deus em lhes ampliar o tempo de graça, a fim de que tenham oportunidade para formar o caráter para a vida futura, imortal. Cada momento é do mais alto valor. O tempo lhes é concedido, não para ser empregado em seguir sua própria comodidade e se tornarem habitantes da Terra, mas para ser empregado na obra de vencer cada defeito de seu caráter e em ajudar os outros, pelo exemplo e pelo esforço pessoal, a verem a beleza da santidade. Deus tem sobre a Terra um povo que, com fé e santa esperança, está acompanhando o rápido desenrolar da profecia e buscando purificar a alma na obediência à verdade, a fim de que não sejam encontrados sem as vestes nupciais quando Cristo aparecer (Testemunhos Para a Igreja, v. 4, p. 306, 307).

  • UNIÃO PLENA COM CRISTO

A união com Cristo, por meio da fé viva, é duradoura; qualquer outra união está condenada a perecer. Cristo nos escolheu primeiro pagando por nossa redenção um preço infinito; e o verdadeiro crente escolhe a Cristo como primeiro, último e melhor de todas as coisas. Essa união, porém, custa-nos alguma coisa. É uma união da mais íntima dependência, da qual deverá participar um ser orgulhoso. Todos os que a formam precisam sentir sua necessidade do sangue propiciador de Cristo. Precisam experimentar a mudança do coração. Precisam submeter sua própria vontade à vontade de Deus. Haverá luta contra obstáculos externos e internos. […] O orgulho, o egoísmo, a vaidade, o mundanismo – o pecado em todas as suas formas – precisa ser vencido, se quisermos entrar em comunhão com Cristo. […]

Os crentes se tornam um em Cristo, mas um ramo não pode sustentar outro. A nutrição precisa ser obtida através de conexão vital com a Videira. Precisamos sentir nossa completa dependência de Cristo. Devemos viver pela fé no Filho de Deus. Esse é o significado da ordem “Habita em Mim”. A vida que vivemos na carne não é pela vontade dos homens, nem para agradar os inimigos de nosso Senhor, mas para servir e honrar Aquele que nos amou e a Si mesmo Se deu por nós (Testemunhos Para a Igreja, v. 5, p. 231, 232).

  • OPORTUNIDADES PARA TODOS

Todos podem trabalhar pela salvação dos que estão fora da arca da segurança. Quando os membros da igreja se mantêm empenhados no serviço de Deus, comprometidos com o trabalho missionário; quando assumem o trabalho altruisticamente, porque amam as almas por quem Cristo morreu e estão desejosos de unir-se com o grande Médico-Missionário, o Senhor Se aproximará deles para instruí-los. A vida está cheia de oportunidades para missionários praticantes. Cada homem, mulher e criança, pode semear diariamente as sementes de palavras bondosas e obras altruístas (Medicina e Salvação, p. 317).

  • COMPROMETIDOS COM CRISTO

Os que trabalham pelas almas precisam lembrar-se de que se acham comprometidos a cooperar com Cristo, a obedecer-Lhe as instruções, a seguir-Lhe a guia. Cada dia devem pedir e receber poder do alto. Devem acalentar o constante senso do amor do Salvador, de Sua eficiência, vigilância e ternura. Cumpre-lhes olhá-Lo como ao pastor e bispo de sua alma. Assim terão a solidariedade e o apoio dos anjos celestes. Cristo lhes será a alegria e a coroa de regozijo. Seu coração será então regido pelo Espírito Santo. Sairão revestidos de santo zelo, e seus esforços serão acompanhados por um poder proporcional à importância da mensagem que proclamam (E Recebereis Poder, p. 157).

  • MOTIVO DE ORAÇÃO

1. Solteiros, pelo reavivamento dos pais; casados, pelo reavivamento do cônjuge e dos fi lhos.

2. Uma pessoa específica com quem estou estudando a Bíblia, ou quero estudar, para que se decida pelo batismo.


TEMA 04: ENOQUE: COMUNHÃO E SERVIÇO INDIVIDUAL

  • AMOR NA VIDA DIÁRIA

Enoque andou com Deus. Ele honrou a Deus em todos os passos da vida. Em seu lar e nos negócios sempre inquiria: “Será isto aceitável ao Senhor?” E por se lembrar sempre de Deus e seguir Seus conselhos, foi transformado em caráter, e se tornou um santo homem, cujos caminhos agradavam ao Senhor. Somos exortados a acrescentar à piedade amor fraternal. […] Em muitos de nossos lares é manifestado um espírito severo, combativo. Palavras de crítica e ações indelicadas são desagradáveis a Deus. Ordens ditatoriais e maneiras arrogantes, autoritárias, não agradam ao Céu. A razão por que há tantas divergências entre os irmãos é terem deixado de acrescentar o amor fraternal. Devemos ter para com os outros aquele amor que Cristo tem manifestado por nós (E Recebereis Poder, p. 97).

  • ENSINADORES DA VERDADE

Enoque foi um ensinador público da verdade na época em que viveu. Ele ensinava a verdade; vivia a verdade; e o caráter do ensinador que andava com Deus era, em todos os aspectos, harmonioso com a grandeza e santidade de sua missão. Enoque era um profeta que falava movido pelo Espírito Santo. […]

Enoque não somente meditava e orava e se revestia com a armadura da vigilância, mas retirava-se de suas petições a Deus para pleitear com seus semelhantes. Ele não disfarçou a verdade para achar favor entre os descrentes, negligenciando assim suas almas. Esta íntima ligação com Deus deu-lhe coragem para realizar as obras de Deus. Enoque andou com Deus e “teve o testemunho de que suas obras agradavam a Deus” (Hb 11:5).

Este é o privilégio de todo crente hoje. É Deus habitando com o homem, e Deus fazendo Sua morada no homem. “Eu neles, e Tu em Mim” (Jo 17:23), disse Jesus. Caminhar com Deus e ter o testemunho de que suas obras O agradam é uma experiência que não deve se restringir a Enoque, a Elias, aos patriarcas, aos profetas, aos apóstolos e aos mártires. Não é somente o privilégio, mas o dever de todo seguidor de Cristo ter Jesus entesourado no coração para levá-Lo consigo em sua vida; e eles serão verdadeiramente árvores que produzem frutos (Olhando Para o Alto, p. 222).

  • LUZ DO MUNDO

Devemos conservar o Senhor sempre diante de nós. Os que fazem isso andam com Deus, como fez Enoque, e imperceptivelmente para eles, tornam-se um com o Pai e o Filho. Realiza-se dia a dia na mente e no coração uma mudança, e as inclinações naturais e os caminhos naturais são moldados segundo o caminho e o Espírito de Deus. Eles crescem em conhecimento espiritual, e vão se desenvolvendo até à estatura completa de homens e mulheres em Cristo Jesus. Refletem para o mundo o caráter de Cristo e, permanecendo Nele e Ele neles, cumprem a missão para que foram chamados a ser filhos de Deus – tornam-se a luz do mundo, uma cidade edificada sobre um monte, que se não pode ocultar. […] Os que foram iluminados de cima, irradiam os brilhantes raios do Sol da Justiça (Filhos e Filhas de Deus, p. 296)

  • VIDA DE ORAÇÃO

Ore em seu aposento particular. Durante os seus afazeres diários, deixe que o coração se eleve a Deus. Era assim que Enoque andava com Deus. […]

Não há tempo nem lugares impróprios para apresentar uma petição a Deus. Nada há que possa nos impedir de elevar o coração no espírito de uma oração sincera. Na rua, em meio à multidão, numa reunião de negócios, podemos elevar uma prece a Deus pedindo orientação divina, assim como fez Neemias ao apresentar sua solicitação perante o rei Artaxerxes. Um ambiente adequado à comunhão pode ser encontrado onde quer que estejamos. Devemos manter continuamente aberta a porta de nosso coração e pedir que Jesus venha habitá-lo como nosso hóspede celestial (Caminho a Cristo, p. 97, 98).

  • COMUNHÃO E ORAÇÃO

Em meio de uma vida de trabalhos ativos, Enoque perseverantemente manteve comunhão com Deus. Quanto maiores e mais insistentes eram seus trabalhos, mais constantes e fervorosas eram suas orações. Ele continuava a segregar-se, em certos períodos, de toda a sociedade. Depois de permanecer por algum tempo entre o povo, trabalhando para os beneficiar pela instrução e exemplo, retirava-se para passar algum tempo em solidão, tendo fome e sede daquele conhecimento divino que somente Deus pode comunicar. Tendo dessa maneira comunhão com Deus, Enoque vinha a refletir cada vez mais a imagem divina. Seu rosto estava radiante de uma santa luz, da própria luz que resplandece no semblante de Jesus. Saindo ele dessas comunhões divinas, mesmo os ímpios contemplavam com admiração a impressão celestial em seu rosto (Patriarcas e Profetas, p. 86, 87).

  • FIDELIDADE NOS DEVERES DIÁRIOS

O andar de Enoque com Deus não foi em arrebatamento de sentidos ou visão, mas em todos os deveres da vida diária. Não se tornou um eremita, excluindo-se inteiramente do mundo; pois tinha uma obra a fazer para Deus no mundo. Na família e em suas relações com os homens, como esposo e como pai, como amigo, cidadão, foi ele um servo do Senhor, constante, inabalável (Patriarcas e Profetas, p. 85).

  • SERVIÇO DE DEUS

A pessoa que verdadeiramente ama e teme a Deus, esforçando-se com um só propósito por fazer a Sua vontade, colocará corpo, mente, coração, alma e forças a serviço de Deus. Assim foi com Enoque. Ele andou com Deus. Sua mente não foi poluída por uma visão impura e defeituosa. Aqueles que estão decididos a tornar sua a vontade de Deus devem servir e agradar a Deus em tudo. Então o caráter será harmonioso e equilibrado, coerente, alegre e genuíno (Cristo Triunfante, p. 65).

  • FÉ SÓLIDA, VIVA E ATUANTE

Assim como Enoque, somos chamados a possuir uma fé sólida, viva e atuante; é a única maneira pela qual podemos ser colaboradores de Deus (Cristo Triunfante, p. 381).

  • AMPARADOS COMO ENOQUE

Enoque representa os que fi carão sobre a Terra e serão trasladados sem experimentar a morte. Representa o grupo que deverá viver entre os perigos dos últimos dias, aqueles que serão rodeados de toda corrupção, vileza, pecado e iniquidade, mas ainda assim se manterão imaculados. Podemos proceder como Enoque. […] Anjos de Deus, excelentes em poder, são enviados para ministrar aos herdeiros da salvação. Esses anjos, ao perceberem que estamos fazendo o último esforço possível para sermos vencedores, realizarão a sua parte, e sua luz brilhará em torno de nós, dissipando a influência dos anjos maus que nos rodeiam. Criarão uma fortificação semelhante a muros de fogo à nossa volta (A Verdade Sobre os Anjos, p. 68, 69).

  • MOTIVO DE ORAÇÃO

1. Meu testemunho pessoal no local de trabalho ou estudo.

2. Uma pessoa específica com quem estou estudando a Bíblia, ou quero estudar, para que se decida pelo batismo.


TEMA 05: DANIEL: GRAÇA, FIDELIDADE E EXCELÊNCIA

  • RETIDÃO PELA GRAÇA

Daniel possuía a graça da genuína mansidão. Era verdadeiro, firme e nobre. Procurava viver em paz com todos, sendo ao mesmo tempo inflexível como o cedro altaneiro, naquilo que envolvesse princípio. […]

O caráter de Daniel é apresentado ao mundo como um admirável exemplo do que a graça de Deus pode fazer de homens caídos por natureza e corrompidos pelo pecado. O registro de sua vida nobre, abnegada, é uma animação para a humanidade em geral. Dela podemos reunir força para resistir nobremente à tentação e, firmemente e na graça da mansidão, suster-nos pelo direito sob a mais severa provação (Fundamentos da Educação Cristã, p. 78, 79).

  • O MODELO DE DANIEL

A história de Daniel é dada para nossa advertência, sobre quem os fins dos séculos têm chegado (Fundamentos da Educação Cristã, p. 374).

O profeta Daniel foi um personagem ilustre. Constituiu um brilhante exemplo do que os homens podem se tornar quando unidos com o Deus de sabedoria (Fundamentos da Educação Cristã, p. 77).

O amor e o temor de Deus estavam diante de Daniel (A Verdade Sobre os Anjos, p. 139).

  • A MAIOR NECESSIDADE

Pela sua sabedoria e justiça, pela pureza e benevolência de sua vida diária, pela sua dedicação aos interesses do povo – e este era idólatra – José e Daniel se mostraram fiéis aos princípios de sua primeira educação, fiéis para com Aquele de quem eram os representantes. […]

As mesmas grandiosas verdades que foram reveladas por estes homens, Deus deseja revelar por meio dos jovens e crianças de hoje. A história de José e Daniel é uma ilustração daquilo que Ele fará pelos que se entregam a Ele e que de todo o coração procuram cumprir Seu propósito.

A maior necessidade do mundo é a de homens – homens que não se comprem nem se vendam; homens que no íntimo de seu coração sejam verdadeiros e honestos; homens que não temam chamar o pecado pelo nome exato; homens cuja consciência seja tão fiel ao dever como a bússola o é ao polo; homens que permaneçam firmes pelo que é certo, ainda que caiam os céus (Educação, p. 57).

  • TEMPERANÇA E VIDA DEVOCIONAL

Deus deseja que os homens cultivem a força de caráter. Os que são meramente oportunistas não são os que receberão uma rica recompensa futura. Ele deseja que os que trabalham em Sua causa sejam homens de fina inteligência e aguda percepção. Devem ser temperantes no comer […]. A clareza de mente e firmeza de propósito de Daniel, sua força de intelecto na aquisição de conhecimento, deveram-se em grande parte à simplicidade de seu regime alimentar, associado à sua vida de oração (Conselhos Sobre o Regime Alimentar, p. 52).

  • FIDELIDADE A TODA PROVA

Logo terminará o conflito entre os dois grandes poderes, o do bem e o do mal; mas até o tempo de seu fim, haverá contínua e aguda contenda. Como Daniel e seus companheiros em Babilônia, devemos agora fazer o propósito de ser fiéis ao princípio, venha o que vier. A incandescente fornalha ardente aquecida sete vezes mais do que era necessário, não fez com que esses fiéis servos de Deus se afastassem de sua obediência à verdade. Permaneceram firmes no tempo da prova e foram lançados na fornalha; mas não foram esquecidos por Deus. A figura do Quarto personagem foi vista andando com eles nas chamas, e saíram não tendo sequer cheiro de fogo nas vestes (Testemunhos para Ministros e Obreiros Evangélicos, p. 470, 471).

  • EM BUSCA DA EXCELÊNCIA

É necessário que cada pessoa, em cada escola ou outras instituições, esteja, como Daniel, em tão estreita ligação com a Fonte de toda sabedoria, que fi que habilitada a atingir a mais alta norma em todos os sentidos (Conselhos aos Pais, Professores e Estudantes, p. 284).

Existe atualmente necessidade de homens que, como Daniel, realizem e sejam ousados. Coração puro e vigorosa e destemida mão, são coisas necessárias no mundo hoje. É desígnio de Deus que o homem progrida sempre, atingindo cada dia um mais elevado nível na escala da excelência. Ele nos ajudará se buscarmos ajuda para nós mesmos. Nossa esperança de felicidade em dois mundos depende de nosso aperfeiçoamento num deles (Mensagens aos Jovens, p. 243).

  • PODER PARA A MISSÃO

Maravilhosa é a obra que o Senhor Se propõe a realizar por intermédio de Sua igreja, a fi m de que Seu nome seja glorificado. […] Por meio de Daniel, Deus salvou a vida de todos os sábios de Babilônia. E esses livramentos são como lições objetivas […]. Todos aqueles em cujo coração Cristo habita, cada um que mostre Seu amor ao mundo, é um cooperador de Deus, para bênção da humanidade (Atos dos Apóstolos, p. 13).

  • APELO AOS JOVENS

Através da fidelidade aos princípios de temperança mostrados pelos jovens hebreus, Deus está falando à juventude de hoje. Há necessidade de homens que, como Daniel, procedam com ousadia pela causa do direito. Coração puro, mãos fortes, coragem destemerosa, são necessários; pois a luta entre os vícios e a virtude reclama incessante vigilância. A cada alma Satanás vem com tentação de formas variadas e sedutoras no ponto da condescendência para com o apetite (Profetas e Reis, p. 488).

  • MESMAS PROMESSAS

Esses homens que, no passado, se entregaram a Deus e ao reerguimento de Sua causa, eram tão fi éis ao princípio quanto o aço. Eram homens que não fracassavam nem desanimavam; homens que, como Daniel, eram cheios de reverência e de zelo por Deus, cheios de nobres propósitos e aspirações. Eram tão fracos e impotentes como qualquer dos que hoje se empenham na obra, mas punham toda a sua confiança em Deus. Tinham riqueza, mas esta consistia na cultura da mente e da alma. Isso pode possuir todo aquele que fizer de Deus o primeiro, o último e o melhor em todas as coisas. Embora destituídos de sabedoria, conhecimento, virtude e poder, podemos receber tudo isso, se aprendermos de Cristo as lições que é nosso privilégio aprender (Mensagens aos Jovens, p. 33).

  • MOTIVO DE ORAÇÃO

1. O reavivamento da liderança da minha igreja.

2. Uma pessoa específica com quem estou estudando a Bíblia, ou quero estudar, para que se decida pelo batismo.


TEMA 06: JOÃO BATISTA: SIMPLICIDADE E PODER

  • NO ESPÍRITO DE ELIAS

João Batista saiu no espírito e virtude de Elias, a fim de preparar o caminho do Senhor e fazer voltar o povo à sabedoria do justo. Ele era um representante dos que vivem nos últimos dias, a quem Deus tem confiado sagradas verdades para serem apresentadas perante o povo, a fim de ser preparado o caminho para a segunda vinda de Cristo (Conselhos Sobre o Regime Alimentar, p. 70, 71).

A infância, juventude e varonilidade de João se caracterizavam pela firmeza e poder moral. Quando sua voz se fizera ouvir no deserto, dizendo: “Preparai o caminho do Senhor, endireitai as Suas veredas” (Mt 3:3), Satanás temeu pela segurança de seu reino (O Desejado de Todas as Nações, p. 224).

  • SANTIDADE

João devia ir como mensageiro de Jeová, para levar aos homens a luz de Deus. Devia imprimir-lhes nova direção aos pensamentos. Devia impressioná-los com a santidade dos reclamos divinos e sua necessidade da perfeita justiça de Deus.Esse mensageiro tem que ser santo. Precisa ser um templo para a presença do Espírito de Deus. A fim de cumprir sua missão, deve ter sã constituição física, bem como resistência mental e espiritual. Era, portanto, necessário que regesse os apetites e paixões. Deveria ser capaz de dominar suas faculdades de tal forma que pudesse estar entre os homens, tão inabalável ante as circunstâncias ambientes, como as rochas e montanhas do deserto (O Desejado de Todas as Nações, p. 100).

  • MENSAGEM AO MUNDO ATUAL

Mediante comovedoras mensagens de advertência, o profeta de Deus despertou os homens das fantasias mundanas. Por meio dele, Deus chamou o Israel apostatado ao arrependimento. Por suas apresentações da verdade ele expunha os enganos populares. Em contraste com as falsas teorias de seu tempo, a verdade contida em seus ensinos se destacava como uma certeza eterna. “Arrependei-vos, porque é chegado o reino dos Céus”, era a mensagem de João (Mt 3:2). Esta mesma mensagem […] deve ser proclamada ao mundo hoje (O Colportor-Evangelista, p. 3, 4).

  • CHAMADOS A INFLUENCIAR

João separou-se dos amigos e dos luxos da vida. A simplicidade de seu vestuário, feito de pelos de camelo, era uma permanente reprovação à extravagância e exibição dos sacerdotes […] bem como do povo em geral. Seu regime, puramente vegetariano, composto de gafanhotos e mel silvestre, era uma reprovação à tolerância para com o apetite e a glutonaria predominante em toda parte (Maranata, p. 20).

A austeridade e isolamento de sua vida [de João], porém, não eram um exemplo para o povo. O próprio João não ordenara a seus ouvintes que abandonassem seus deveres anteriores. Pediu-lhes que dessem demonstração de arrependimento pela fidelidade a Deus, no lugar em que Ele os chamara (O Desejado de Todas as Nações, p. 150, 151).

  • UM POVO DIFERENTE

Os que alegam conhecer a verdade e compreender a grande obra a ser efetuada neste tempo devem consagrar-se a Deus de alma, corpo e espírito. No coração, no vestuário, na linguagem, em todo aspecto devem estar separados das modas e práticas do mundo. Devem ser um povo peculiar e santo. Não é o vestuário que os torna singulares; mas, pelo fato de serem um povo peculiar e santo, não podem levar as marcas da semelhança com o mundo. […]

Muitos que supõem estarem indo para o Céu têm os olhos vendados pelo mundo. […] Têm que aprender ainda as solenes lições tão essenciais para crescer em espiritualidade a fim de sair do mundo e separar-se dele. O coração está dividido, a mente carnal anela conformidade, semelhança com o mundo de tantas maneiras que o sinal distintivo no tocante ao mundo quase não é distinguível. O dinheiro, o dinheiro de Deus, é gasto para criar uma aparência em conformidade com os costumes do mundo; a experiência religiosa é contaminada pelo mundanismo, e nem o mundo nem o Universo celestial discerne a evidência do discipulado – a semelhança de Cristo na abnegação e em levar a cruz (Fundamentos da Educação Cristã, p. 310, 311).

  • SIMPLICIDADE E REFORMA

João era um reformador. O anjo Gabriel, vindo do Céu, deu instruções sobre reforma de saúde aos pais de João. Disse que ele não devia beber vinho nem bebida forte, e que seria cheio do Espírito Santo desde o seu nascimento (Conselhos Sobre o Regime Alimentar, p. 70, 71).

A abnegação, humildade e temperança requeridas dos justos, a quem Deus de maneira especial guia e abençoa, devem ser apresentadas em contraste com os hábitos extravagantes e destruidores da saúde dos que vivem neste século degenerado. Deus tem mostrado que a reforma de saúde está tão intimamente relacionada com a mensagem do terceiro anjo como a mão está com o corpo (Maranata, p. 20).

A reforma de saúde está intimamente relacionada com a mensagem do terceiro anjo, mas ela não é a mensagem. Nossos pregadores devem ensinar reforma de saúde, mas não devem fazer disso o tema predominante em lugar da mensagem (Conselhos Sobre o Regime Alimentar, p. 74, 75).

  • HUMILDADE E ABNEGAÇÃO

Olhando com fé ao Redentor, João erguera-se às alturas da abnegação. Não buscava atrair os homens a si mesmo, mas erguer-lhes o pensamento mais e mais alto, até que repousasse no Cordeiro de Deus. Ele próprio não passara de uma voz, um clamor no deserto. Agora, aceitava com alegria o silêncio e a obscuridade, para que os olhos de todos se pudessem voltar para a Luz da vida.

Os que são fiéis à vocação de mensageiros de Deus, não buscarão honra para si mesmos. O amor do próprio eu será absorvido pelo amor a Cristo. Nenhuma rivalidade manchará a preciosa causa do evangelho. Reconhecerão que sua obra é proclamar, como João Batista: “Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo” (Jo 1:29). Exaltarão a Jesus, e com Ele será a humanidade exaltada (O Desejado de Todas as Nações, p. 179, 180).

  • NOSSO CHAMADO

Assim como João Batista, ao preparar um povo para o primeiro advento de Cristo, chamou-lhes a atenção para os Dez Mandamentos, devemos dar, não com sonido incerto, a mensagem: “Temei a Deus e dai-Lhe glória, Pois é chegada a hora do Seu juízo.” Com o fervor que caracterizava o profeta Elias e João Batista, devemos nos esforçar por preparar o caminho para o segundo advento de Cristo (Maranata, p. 20).

  • MOTIVO DE ORAÇÃO

1. Reavivamento dos irmãos da minha igreja.

2. Uma pessoa específica com quem estou estudando a Bíblia, ou quero estudar, para que se decida pelo batismo.


TEMA 07: DESPERTAR PARA A AÇÃO

  • CONSAGRAÇÃO E ESFORÇO

Estamos agora vivendo as cenas finais da história deste mundo. Tremam os homens com a noção da responsabilidade de conhecer a verdade. São chegadas as cenas finais do mundo. Os que considerarem devidamente estas coisas serão levados a fazer inteira consagração a seu Deus, de tudo quanto possuem e são (Evangelismo, p. 16).

Todos estão decidindo agora seu perpétuo destino. As pessoas precisam ser despertadas a fim de reconhecer a solenidade do momento e a proximidade do dia em que terá terminado a graça. Esforços decisivos têm de ser feitos a fim de apresentar esta mensagem ao povo de modo notável. O terceiro anjo deverá avançar com grande poder (Testemunhos Para a Igreja, v. 6, p. 16).

  • A COMISSÃO TAMBÉM É NOSSA

A comissão também se dirige a nós. Somos ordenados a ir como mensageiros de Cristo, para ensinar, instruir e persuadir homens e mulheres, apelando para que atentem para a Palavra de vida. Também nos é dada a certeza da constante presença de Jesus. Sejam quais forem as dificuldades com que nos tenhamos de defrontar, sejam quais forem as provações que tenhamos de suportar, sempre será para nós a misericordiosa promessa: “E eis que Eu estou convosco todos os dias, até à consumação dos séculos” (Mt 28:20) (Evangelismo, p. 413).

  • MENSAGEM VIVA

Na comissão dada aos discípulos, Cristo não somente lhes delineou a obra, mas deu-lhes a mensagem. “Ensinai o povo”, disse, “a guardar todas as coisas que Eu vos tenho mandado” (Mt 28:20). Os discípulos deviam ensinar o que Cristo ensinara. […]

O evangelho tem de ser apresentado, não como uma teoria sem vida, mas como força viva para transformar a vida. Deus deseja que os que recebem Sua graça sejam testemunhas do poder dela (O Desejado de Todas as Nações, p. 826).

  • RESPONSABILIDADE INDIVIDUAL

Cada um tem uma parte a desempenhar, segundo sua capacidade; e cabe àquele que apresenta a verdade, com cuidado e oração, descobrir as aptidões de todos quantos aceitam essa verdade, e depois instruí-los e guiá-los, passo a passo, deixando que eles avaliem o peso da responsabilidade que sobre eles repousa de realizar a obra que Deus lhes designa. Deve insistir em mostrar-lhes que ninguém poderá resistir à tentação, corresponder ao desígnio de Deus e viver a vida cristã, a menos que lance mão de sua obra, seja ela grande ou pequena, executando-a com conscienciosa fidelidade.

Há para todos uma tarefa além de ir à igreja e escutar a Palavra de Deus. É preciso que pratiquem a verdade ouvida, introduzindo os princípios na vida diária. Importa que façam constantemente obra para Cristo, não por motivos egoístas, mas visando unicamente a glória Daquele que fez todo sacrifício a fim de salvá-los da ruína (Testemunhos Para a Igreja, v. 4, p. 399).

  • HARMONIA E UNIDADE

O segredo de nosso êxito na obra de Deus se encontrará na operação harmoniosa de nosso povo. Tem de haver uma ação concentrada. Todo o membro do corpo de Cristo tem que fazer sua parte na causa de Deus segundo a capacidade que Ele lhe deu. Temos que conjugar esforços contra as dificuldades e obstáculos, ombro a ombro, e unidos pelo coração (Serviço Cristão, p. 75).

Se os cristãos agissem de comum acordo, avançando como um só homem, sob a direção de um único poder, para a realização de um só objetivo, abalariam o mundo (Testemunhos Para a Igreja, v. 9, p. 221).

  • POR TODO A VIDA

Salvar pessoas deve ser a obra vitalícia de todo aquele que professa seguir a Cristo. Somos devedores ao mundo pela graça que nos foi dada por Deus, pela luz que brilhou sobre nós e pela beleza e poder que descobrimos na verdade (Testemunhos Para a Igreja, v. 4, p. 53).

  • UMA EXPERIÊNCIA NOVA

Quando, como um povo, nossas obras corresponderem à nossa profissão de fé, veremos realizado muito mais do que testemunhamos agora. Quando tivermos homens consagrados como Elias e possuídos da fé que o animou, veremos que Deus Se revelará a nós como o fez aos homens santos de outrora. Quando tivermos homens que, ao passo que reconhecem as próprias deficiências, como Jacó pleiteiam com Deus em fervente fé, havemos de ver idênticos resultados. Em resposta à oração da fé, virá poder ao homem da parte de Deus (Testemunhos Para a Igreja, v. 4, p. 402).

  • SERVIÇO INDIVIDUAL

A cada um foi distribuída sua obra, e ninguém pode substituir o outro. Cada um tem uma missão de admirável importância, a qual ele não pode negligenciar ou passar por alto, uma vez que seu cumprimento envolve o bem de alguma alma, e a negligência da mesma, a ruína de uma criatura por quem Cristo morreu (Serviço Cristão, p. 10).

Há por toda parte a tendência de substituir pela obra de organizações o esforço individual. […] Muitos deixam às instituições e organizações a obra da beneficência; eximem-se do contato com o mundo, e seu coração torna-se frio. Ficam absorvidos consigo mesmos e insensíveis à impressão. Extingue-se-lhes no coração o amor para com Deus e o homem. Cristo confia a Seus seguidores uma obra individual – uma obra que não pode ser feita por procuração. O serviço aos pobres e enfermos, o anunciar o evangelho aos perdidos, não deve ser deixado a comissões ou caridade organizada. Responsabilidade individual, individual esforço e sacrifício pessoal são exigências evangélicas (A Ciência do Bom Viver, p. 147).

Se cada um de vós fosse um missionário vivo, a mensagem para este tempo seria rapidamente proclamada em todos os países, a cada povo, e nação, e língua (Serviço Cristão, p. 9).

  • O APELO DIVINO

Repousa sobre nós a pesada responsabilidade de advertir o mundo quanto ao juízo iminente. De todas as direções, de longe e de perto, ouvem-se os pedidos de auxílio. A igreja, inteiramente consagrada a seu trabalho, deve levar a mensagem ao mundo: “vinde ao banquete do evangelho; a ceia está preparada, vinde”. […] O reino dos Céus deve ser alcançado. Um mundo, a perecer no pecado, deve ser iluminado. A pérola perdida deve ser achada. A ovelha perdida deve ser conduzida de volta, em segurança, para o curral. Quem se unirá aos que vão buscá-la? Quem erguerá a luz aos que tateiam nas trevas do erro? (Evangelismo, p. 16).

  • MOTIVO DE ORAÇÃO

1. Em favor de alguém doente e que precisa de um milagre.

2. Uma pessoa específica com quem estou estudando a Bíblia, ou quero estudar, para que se decida pelo batismo.


TEMA 08: MARCAS DE UM DISCÍPULO FIEL

  • SENSO DE RESPONSABILIDADE

A todos quantos se tornam participantes de Sua graça, o Senhor indica uma obra em benefício de outros. Cumpre-nos estar, individualmente, em nosso posto, dizendo: “Eis-me aqui, envia-me a mim” (Is 6:8). Sobre o ministro da Palavra, a enfermeira missionária, o médico cristão, o cristão individualmente, seja ele comerciante ou fazendeiro, profissional ou mecânico – sobre todos repousa a responsabilidade. É nossa obra revelar às pessoas o evangelho de sua salvação. Todo empreendimento em que nos empenhemos deve ser um meio para esse fim (A Ciência do Bom Viver, p. 148).

  • OTIMISMO E AÇÃO

Em geral, Deus não opera milagres para fazer Sua verdade avançar. […] Aqueles que não fazem esforços decididos, mas esperam simplesmente que o Espírito Santo os force à ação, perecerão em trevas (Serviço Cristão, p. 228).

Aqueles que desejam o sucesso [no serviço missionário] devem ser corajosos e otimistas (Obreiros Evangélicos, p. 290).

Não deve a mensagem ser proclamada com timidez, destituída de vida, mas com clareza, positividade, e de maneira a despertar. Centenas de pessoas estão esperando o aviso de escaparem para salvar a vida. O mundo precisa ver nos cristãos uma prova do poder do cristianismo (Testemunhos Para a Igreja, v. 8, p. 16).

O que necessitamos para dar a mensagem não são oradores eloquentes. […] Necessitam-se homens de ação – homens que trabalhem com fervorosa e incessante energia em prol da purificação da igreja e para advertir o mundo (Serviço Cristão, p. 229).

  • PODER AOS DISCÍPULOS

À medida que o fim se aproxima, os testemunhos dos servos de Deus se tornarão mais firmes e mais poderosos (Eventos Finais, p. 201).

O Senhor Jesus dará aos discípulos uma língua e sabedoria a que os seus adversários não poderão contradizer nem resistir. […] As palavras sairão dos lábios de pessoas indoutas com tal poder e sabedoria convincentes que haverá conversões à verdade. Milhares se converterão pela influência do seu testemunho (Eventos Finais, p. 205, 206).

  • LEALDADE

O povo de Deus está se aproximando do limiar do mundo eterno; que pode haver de mais importante para eles do que ser leais ao Deus do Céu? […] Suas bênçãos especiais acompanham os labores de homens de ação; homens que não se desviarão da linha reta do dever […] Tais homens subordinam sua vontade e planos à lei de Deus. Por amor a Ele, não têm a sua vida por preciosa. Seu trabalho é captar a luz da Palavra e deixá-la brilhar para o mundo em raios claros e firmes (Profetas e Reis, p. 148).

  • COMUNHÃO, RELACIONAMENTO E MISSÃO

Cristão alerta é o cristão que trabalha, buscando zelosamente fazer tudo que está em suas forças para o avanço do evangelho. À proporção que aumenta o seu amor pelo Redentor, também aumenta por seus semelhantes. Como seu Mestre, experimenta ele severas provas, mas não permite que a aflição lhe irrite o temperamento ou destrua a paz de espírito. Sabe que as provações, se bem aceitas, o refinarão e purificarão, pondo-o em íntima comunhão com Cristo. Os que são participantes das aflições de Cristo também participarão de Sua consolação e, por fim, de Sua glória (Testemunhos Para a Igreja, v. 4, p. 72).

  • CONFIANÇA NA DIREÇÃO DIVINA

O desânimo pode abalar a fé mais heroica e enfraquecer a mais firme vontade. Mas Deus compreende e ainda Se compadece e ama (Profetas e Reis, p. 174, 175).

Os servos do Senhor podem esperar toda espécie de desânimo. […] A lembrança do que Ele tem feito por nós se demonstrará um apoio em todo o perigo (Serviço Cristão, p. 239, 240).

Por que afligir-se? O intenso desejo de que a igreja seja uma luz viva e resplandecente, em harmonia com o desígnio de Deus, tem de ser temperado com uma inteira confiança Nele (Serviço Cristão, p. 243).

  • FÉ E CORAGEM

As aparências podem ser adversas; mas na hora mais sombria, a luz resplandece além. As forças daqueles que, com fé, amam e servem a Deus serão renovadas dia a dia (Obreiros Evangélicos, p. 262).

Quando, com fé, lançarmos mão de Sua força, Ele mudará, mudará maravilhosamente, a mais desesperançada e desanimadora das perspectivas. Ele o fará para glória de Seu nome. Deus pede aos Seus fiéis, aos que Nele creem, que falem de ânimo aos incrédulos e desesperançados (Serviço Cristão, p. 234, 235).

  • COMUNHÃO E AÇÃO

A vida cristã não é feita de incessante atividade, nem de contínua meditação. Os cristãos precisam trabalhar fervorosamente pela salvação dos perdidos e também precisam tomar tempo para a meditação, para a oração e para o estudo da Palavra de Deus (Serviço Cristão, p. 249).

  • DISPOSIÇÃO PARA OUVIR A VOZ DE DEUS

A influência da obra que estamos fazendo será sentida por toda a eternidade. Se trabalharmos em harmonia uns com os outros e com o Céu, Deus demonstrará Seu poder em nosso favor, como fez pelos discípulos no dia do Pentecostes. Aqueles dias de vigília, em que os discípulos se prepararam pela oração e pondo de lado toda desunião, levaram-nos a tão íntima relação com Deus que Ele pôde trabalhar por eles e por meio deles de um modo maravilhoso. Hoje Deus deseja realizar grandes coisas por meio da fé e das obras de Seu povo fiel. Mas precisamos estar em correta relação com Ele, para que quando Ele nos falar, possamos ouvir e entender Sua voz (Medicina e Salvação, p. 334, 335).

  • UM CHAMADO PESSOAL

A cada dia, o tempo de graça de alguém se encerra. A cada momento, alguns passam para além do alcance da misericórdia. E onde estão as vozes de aviso e súplica, mandando o pecador fugir dessa condenação terrível? Onde estão as mãos estendidas para o fazer retroceder do caminho da morte? Onde estão os que com humildade e fé perseverante intercedem junto a Deus por ele? (Patriarcas e Profetas, 140).

Mas não necessitamos ir a Nazaré, a Cafarnaum ou a Betânia para andar nos passos de Jesus. Encontraremos Suas pegadas junto ao leito dos doentes, nas choças da pobreza, nos apinhados becos das grandes cidades e em qualquer lugar onde há corações humanos necessitados de consolação. Fazendo como Jesus fazia quando na Terra, andaremos em Seus passos (O Desejado de Todas as Nações, p. 640).

  • MOTIVO DE ORAÇÃO

1. Em favor de pessoas que precisam voltar para Deus e para a igreja.

2. Uma pessoa específica com quem estou estudando a Bíblia, ou quero estudar, para que se decida pelo batismo.


TEMA 09: A IGREJA NO TEMPO DO FIM

  • OMBRO A OMBRO, UNIDOS

Trabalhe! Trabalhe, tendo em vista a eternidade! Lembre-se de que todas as faculdades devem estar santificadas. Uma grande obra tem que ser feita (Testemunhos Para a Igreja, v. 9, p. 47).

Deus tem enviado mensagens após mensagens para despertar nosso povo a fim de fazer alguma coisa, e fazê-la agora” (Testemunhos Para a Igreja, v. 9, p. 46).

O segredo de nosso êxito na obra de Deus se manifestará na operação harmoniosa de nosso povo. Tem de haver uma ação concentrada. Todo o membro do corpo de Cristo tem que fazer sua parte na causa de Deus segundo a capacidade que Ele lhe deu. Temos que conjugar esforços contra as dificuldades e obstáculos, ombro a ombro e unidos pelo coração. Se os cristãos agissem de comum acordo, avançando como um só homem, sob a direção de um único Poder, para a realização de um só objetivo, eles abalariam o mundo (Serviço Cristão, p. 75).

  • COM TODOS E A TODOS

Muitos, mesmo entre os iletrados, proclamam agora as palavras do Senhor. Crianças são impelidas pelo Espírito a ir e declarar a mensagem do Céu. O Espírito será derramado sobre todos quantos se submeterem a Suas sugestões e, pondo à margem todo o esforço humano, suas regras inibidoras e cautelosos métodos, proclamarão a verdade com a força e o poder do Espírito (Evangelismo, p. 700).

Servos de Deus, com o rosto iluminado e a resplandecer de santa consagração, correrão de um lugar para outro para proclamar a mensagem do Céu. Por milhares de vozes, em toda a extensão da Terra, será dada a advertência (Eventos Finais, p. 207, 208).

  • MISSÃO ESPECIAL

O Senhor nos tornou os depositários de Sua lei; Ele confiou-nos a sagrada e eterna verdade, que deve ser transmitida a outros em fiéis advertências, repreensões e encorajamento (Testemunhos Para a Igreja, v. 5, p. 381).

Os adventistas do sétimo dia foram escolhidos por Deus como um povo peculiar, separado do mundo. Com a grande talhadeira da verdade Ele os cortou da pedreira do mundo e os ligou a Si. Tornou-os representantes Seus e os chamou para serem Seus embaixadores na obra final de salvação. O maior tesouro da verdade já entregue a mortais – as mais solenes e sérias advertências que Deus já enviou aos seres humanos – foi confiado a esse povo, a fim de ser transmitido ao mundo (Eventos Finais, p. 45).

De todos os Seus filhos até ao fim do tempo, da mesma maneira que de Seus primeiros discípulos, Cristo disse: “Assim como Tu Me enviaste ao mundo, também Eu os enviei ao mundo” (Jo 17:18), para serem representantes de Deus, para revelarem Seu Espírito, manifestarem Seu caráter, fazerem Sua obra (A Ciência do Bom Viver, p. 395, 396).

Todo o que aceita a Cristo como seu Salvador pessoal ansiará pelo privilégio de servir a Deus (A Ciência do Bom Viver, p. 502).

  • ESPÍRITO DE SERVIÇO E ABNEGAÇÃO

Longamente Deus tem esperado que o espírito de serviço se apodere de toda a igreja, de maneira que cada um trabalhe para Ele segundo sua habilidade. Quando os membros da igreja de Deus fizerem a obra que lhes é indicada nos necessitados campos nacionais e estrangeiros, em cumprimento da comissão evangélica, todo o mundo será logo advertido, e o Senhor Jesus retornará à Terra com poder e grande glória (Atos dos Apóstolos, p. 111).

  • COMO SE CADA DIA FOSSE O ÚLTIMO

Devemos vigiar, trabalhar e orar como se este fosse o último dia a nós concedido (Eventos Finais, p. 77).

Nossa única segurança está em realizar o trabalho de cada dia como ele se apresenta, labutando, vigiando, esperando e confiando em todas as ocasiões na força Daquele que esteve morto, mas reviveu e está vivo para todo o sempre (Eventos Finais, p. 77).

Cada manhã, consagrem-se a Deus com seus filhos. Não façam cálculos para meses ou anos; eles não lhes pertencem. Um curto dia é o que lhes é dado. Como se esse fosse o último dia de vocês na Terra, trabalhem para o Mestre durante suas horas. Apresentem a Deus todos os seus planos, para serem executados ou rejeitados, conforme Sua providência indique (Eventos Finais, p. 77).

  • É NECESSÁRIO DESPERTAR

Quando a igreja despertar para o senso do que precisa ser feito neste mundo, os membros terão angústia de alma pelos que não conhecem a Deus e que, em sua ignorância espiritual não podem compreender a verdade para este tempo. Abnegação, sacrifício precisam ser entretecidos em toda a nossa experiência. Precisamos orar e velar em oração, para que não haja incoerência em nossa vida. Precisamos não falhar no mostrar aos outros que compreendemos que velar em oração significa viver nossas orações diante de Deus, para que Ele as possa atender (Mensagens Escolhidas, v. 1, p. 116).

  • MARCAR DATAS

Deus não nos revelou em que momento essa mensagem será concluída ou quando terá fim o tempo de graça. As coisas reveladas aceitaremos para nós e nossos filhos. Porém, não busquemos saber aquilo que foi mantido em segredo nos concílios do Todo-Poderoso (Eventos Finais, p. 227).

Algumas cartas chegam a mim perguntando se tenho qualquer esclarecimento especial quanto ao tempo da terminação do período de graça; e respondo que tenho apenas esta mensagem a dar; que agora é tempo de trabalhar, enquanto é dia, pois a noite vem, quando ninguém pode trabalhar (Mensagens Escolhidas, v. 1, p. 191).

  • COMO NUNCA ANTES

A grande obra do evangelho não deverá ser concluída com menor manifestação do poder de Deus do que a que marcou seu início. As profecias que se cumpriram no derramamento da chuva temporã, no início do evangelho, devem novamente se cumprir na chuva serôdia ao final (Eventos Finais, p. 203).

Assim como no passado chamou pescadores para serem Seus discípulos, Ele convocará, entre o povo comum, homens e mulheres que realizem Sua obra. Em breve, haverá um avivamento que surpreenderá a muitos. Os que não percebem a necessidade do que deve ser feito serão passados por alto, e os mensageiros celestiais trabalharão com os que são chamados de pessoas comuns, habilitando-os a levar a verdade para muitos lugares (Eventos Finais, p. 204).

O poder que tão fortemente sacudiu o povo no movimento de 1844 se revelará novamente. A mensagem do terceiro anjo irá avante, não em voz baixa, mas num alto clamor (Testemunhos Para a Igreja, v. 5, p. 252).

  • MOTIVO DE ORAÇÃO

1. Em favor do(s) pastor(es) da minha igreja.

2. Uma pessoa específica com quem estou estudando a Bíblia, ou quero estudar, para que se decida pelo batismo.


TEMA 10: RECOMPENSAS ETERNAS

  • A VITÓRIA SE APROXIMA

O fim está perto, aproximando-se imperceptivelmente, como o silencioso aproximar de um ladrão à noite. Conceda o Senhor que não fiquemos por mais tempo a dormir como fazem os outros, mas que vigiemos e sejamos sóbrios. A verdade há de em breve triunfar gloriosamente, e todos quantos agora escolhem ser cooperadores de Deus, com ela triunfarão (Evangelismo, p. 692).

  • ATOS DE BENEFICÊNCIA

Cristo considera todo ato de misericórdia, de beneficência e de cuidadosa consideração para com o desafortunado, o cego, o coxo, o enfermo, a viúva e o órfão, como feito a Ele mesmo; essas obras são conservadas no registro celeste e hão de ser recompensadas (Serviço Cristão, p. 268).

  • A RECOMPENSA DO SERVIÇO

Por mais breve que seja o nosso serviço, ou mais humilde nossa obra, se seguirmos a Cristo com fé singela, não seremos desapontados pela recompensa. Aquilo que o maior e mais sábio não pode alcançar, o mais fraco e humilde receberá. Os portões dourados do Céu não se abrem para os que se exaltam. Não são erguidos para os de espírito altivo. Os portais eternos se abrirão ao trêmulo contato de uma criancinha. Abençoado será o galardão da graça para os que trabalharam para Deus com simplicidade de fé e amor (Parábolas de Jesus, p. 404).

  • FELICIDADE AGORA

Aqueles que devotam a existência a um ministério semelhante ao de Cristo sabem o que significa a verdadeira felicidade. Seus interesses e orações se estendem muito além de si mesmos. Eles próprios crescem à medida que procuram ajudar os outros (Testemunhos Para a Igreja, v. 9, p. 42).

A igreja que se empenha com êxito nessa obra é uma igreja feliz. O homem ou a mulher […] que trabalha para trazê-los ao redil do grande Pastor, ocupa-se numa bendita obra. […] Como enleva o pensamento de que, ao ser assim resgatada uma alma, há mais alegria no Céu do que por noventa e nove justos! (Serviço Cristão, p. 269).

  • BOAS-VINDAS AO LAR ETERNO

Detenham-se no limiar da eternidade e escutem as alegres boas-vindas dadas àqueles que nesta vida cooperaram com Cristo, reputando como privilégio e honra sofrer por Sua causa. […] Os remidos saúdam aqueles que os conduziram ao excelso Salvador. Unem-se no louvor Daquele que morreu para que os seres humanos pudessem fruir a vida que se mede com a de Deus. A luta está terminada. Estão no fim todas as tribulações e contendas. Cânticos de vitória ecoam pelos Céus inteiros, enquanto os remidos permanecem em volta do trono de Deus. Todos entoam o alegre hino: “Digno é o Cordeiro, que foi morto” e que nos remiu para Deus (Ap 5:12) (A Ciência do Bom Viver, p. 506, 507).

  • ETERNA GRATIDÃO

Os remidos hão de encontrar e reconhecer aqueles cuja atenção encaminharam ao excelso Salvador. Que alegres conversas eles terão com essas pessoas! “Eu era pecador”, alguém dirá, “sem Deus e sem esperança no mundo; e tu te aproximaste de mim, e atraíste minha atenção para o precioso Salvador, como minha única esperança. E eu cri Nele. Arrependi-me de meus pecados, e foi-me dado assentar juntamente com Seus santos nos lugares celestiais em Cristo Jesus.” Outros dirão: “Eu era pagão, em terras pagãs. Deixaste teu lar confortável e vieste me ajudar a encontrar Jesus, e a crer Nele como único Deus verdadeiro. Destruí meus ídolos e adorei a Deus e agora O vejo face a face. Estou salvo, eternamente salvo, para ver perpetuamente Aquele a quem amo (Obreiros Evangélicos, p. 518)!

Outros exprimirão seu reconhecimento aos que alimentaram o faminto e vestiram o nu. “Quando o desespero acorrentava minha alma à descrença, o Senhor te enviou a mim”, dizem eles, “para me dizer palavras de esperança e conforto. Trouxeste-me alimento para as necessidades físicas e abriste a Palavra de Deus, despertando-me para minhas necessidades espirituais. Trataste-me como irmão. Tiveste compaixão de mim. […] Tive fome do pão da vida, e a verdade foi preciosa à minha alma. Aqui estou, salvo, eternamente salvo, para viver eternamente em Sua presença e louvar Aquele que deu a vida por mim” (Obreiros Evangélicos, p. 518, 519).

  • A ALEGRIA DOS REENCONTROS

Que regozijo haverá quando esses remidos se encontrarem com os que se preocuparam em seu favor e os saudarem! E os que viveram, não para agradar a si mesmos, mas para ser uma bênção para os desafortunados que tão poucas bênçãos desfrutam – como lhes há de palpitar o coração satisfeito! Eles compreenderão a promessa: “Serás bem-aventurado; porque eles não têm que to recompensar; mas recompensado te será na ressurreição dos justos” (Lc 14:14) (Obreiros Evangélicos, p. 519).

Veremos no Céu os jovens a quem ajudamos, os que convidamos para nosso lar, a quem desviamos da tentação. Veremos seus rostos refletindo o brilho da glória de Deus (Serviço Cristão, p. 273).

  • A NOVA JERUSALÉM

A Nova Jerusalém é o nosso lugar de descanso. Não haverá tristeza na cidade de Deus. Jamais se ouvirão nela gemidos de pesar, nem lamentos por esperanças malogradas ou amizades desfeitas. Logo as vestes de tristeza serão transformadas em trajes nupciais. Logo testemunharemos a coroação de nosso Rei. Aqueles cuja vida estiver escondida com Cristo, os que na Terra combateram o bom combate da fé, resplandecerão com a glória do Redentor no reino de Deus (Vida e Ensinos, p. 236).

  • O RETORNO DE CRISTO

O Senhor vem. Ouvimos os passos de um Deus que Se aproxima (Evangelismo, p. 219).

Sobre a cabeça dos vencedores, Jesus colocará, com as próprias mãos, a coroa de glória. […] Jesus abrirá amplamente os portais de pérola, e por eles entrarão as nações que observaram a verdade (Eventos Finais, p. 282).

Não haverá ninguém salvo no Céu com uma coroa sem estrelas. Se entrarmos lá, haverá alguém nas cortes da glória que encontrou entrada ali por nosso intermédio (Eventos Finais, p. 282).

O grande conflito terminou. Pecado e pecadores não mais existem. O Universo inteiro está purificado. Uma única palpitação de harmonioso júbilo vibra por toda a vasta criação. Daquele que tudo criou emanam vida, luz e alegria por todos os domínios do espaço infinito. Desde o minúsculo átomo até ao maior dos mundos, todas as coisas, animadas e inanimadas, em sua serena beleza e perfeito gozo, declaram que Deus é amor (O Grande Conflito, p. 678).

Quão glorioso será vê-Lo e receber as boas-vindas como remidos Seus! Por muito tempo temos esperado, mas nossa esperança não deve diminuir. Se apenas pudermos ver o Rei em Sua beleza, seremos para sempre benditos (Eventos Finais, p. 280).

  • MOTIVO DE ORAÇÃO

1. Reavivamento pessoal.

2. Uma pessoa específica com quem estou estudando a Bíblia, ou quero estudar, para que se decida pelo batismo.

mō Baixoguandu

O Portal Adventista de Baixo Guandu/ES, no dia 18 de Setembro 2014 foi criado com o objetivo de abranger todos os conteúdos da IASD. Informações a todos as programações, materiais e outros conteúdos; Dando-lhe a oportunidade a todos terem acesso pela via online através da internet. Direção: Thiago A. de Oliveira - Baixo Guandu/ES.

I tua atu, tirohia

Série da Semana Santa: Episódio 6 – Renascidos Novo Coração

Fazer DownloadImprimir Ás vezes o melhor jeito de recomeçar é nascer de novo.

Waiho i te Reply

Ka kore e whakaputaina tō wāhitau īmēra. Kua tohua ngā āpure e hiahiatia ana ki *

×

Portal Adventista de Baixo Guandu/ES

Seja Bem-Vindo (a), conheça os conteúdos da Igreja Adventista do Sétimo Dia.

× Whakapā Mai !!
G|translate Your license is inactive or expired, please subscribe again!