A Bíblia como história

Manuscritos foram encontrados em 1947 e mudaram a compreensão sobre muitos trechos da Bíblia Sagrada.

A historicidade é uma das caraterísticas distintivas da Bíblia. Mas, em que sentido essa distinção se apresenta? Enquanto outras literaturas religiosas contêm mitos e lendas, a Bíblia apresenta narrativas históricas sérias, confiáveis, verificáveis. Os críticos podem alegar que boa parte da Bíblia é mitológica e que suas narrativas históricas estão cheias de erros, mas os fatos contradizem suas pretensões.

Leia também:

As descobertas arqueológicas dos últimos dois séculos têm iluminado a natureza histórica das Escrituras de muitas maneiras. É verdade que a arqueologia não pode provar que a Bíblia é a Palavra de Deus, mas é também verdade que a arqueologia tem proporcionado a verificação dos relatos históricos das Escrituras.

O erudito Donald Wiseman, respeitado professor de Assiriologia, argumenta que a evidência arqueológica tem na sua maior parte eliminado estes “supostos erros” da Escritura, erros estes que podem ser atribuídos a equívocos de interpretação por estudiosos modernos e não a ‘erros’ de fato apresentados por historiadores bíblicos.

De fato, a descoberta dos rolos ou manuscritos do Qumran, no Mar Morto, em 1947, nos mostra que não há nenhuma razão para duvidar de que aquilo que os escritores do Antigo Testamento escreveram é essencialmente o mesmo que temos em nossas Bíblias hoje. “Nenhum outro documento antigo similar foi transmitido de forma tão exata como o Antigo Testamento, sobretudo porque os escribas judeus e os massoretas tratavam a Palavra de Deus com a máxima reverência imaginável. Eles chegaram a criar um complexo sistema de contar os versículos, palavras e letras do texto para proteger a mensagem de qualquer acréscimo ou omissão. Todo rolo que não atendia aos padrões era enterrado ou queimado”.[2]

Acompanhe o estudo completo da lição 10 da Escola Sabatina acessando o vídeo abaixo. Assista e compartilhe o link; dessa forma, muitas pessoas poderão se beneficiar do estudo da Sagrada Escritura.


Referências:

[1] Para uma leitura mais profunda sobre este tema, consulte: Peter van Bemmelen, “A Bíblia: Como pode ela ser única?,” Diálogo 10:3 (1998): 17-19

[2] Pfandl, Gerhard. Interpretando as Escrituras. Casa Publicadora Brasileira. Tatuí, SP: 2015, p. 54.

Facebook Comments

sobre baixoguandu

É um grande privilégio de elaboração do site PORTAL ADVENTISTA DE BAIXO GUANDU/ES, no dia 18 de Setembro 2014 para a divulgação aqui na cidade local, regional e em todos os Países. Nosso Objetivo é divulgarmos os programas, materiais entre outros que se realizam na Igreja Adventista do Sétimo Dia, em prol do Evangelho Eterno, assim diz o Senhor: “ Breve Jesus Cristo Voltará” Apocalipse 22:1-21. Portanto não será então em benefício próprio, sim a necessidade desse divulgação nessa cidade que todos se entregam sua vida a Jesus Cristo, nosso Salvador. Att: Thiago Amaral de Oliveira - Baixo Guandu/ES.

Além disso, verifique!

Expectativa e paciência: duas chaves para aguardar o retorno de Cristo

“A ardente expectativa da criação aguarda a revelação dos filhos de Deus. Pois a criação …

×

Portal Adventista de Baixo Guandu/ES

Seja Bem-Vindos (as) ao Portal Adventista de Baixo Guandu/ES. Conheça os Materiais e Conteúdos da Igreja Local e Mundial.

× Atendimento Online!