Início / 10 DIAS DE ORAÇÃO E JEJUM 2020 / Dia 01: A Necessidade do Resgate – 06 de Fevereiro 2020

Dia 01: A Necessidade do Resgate – 06 de Fevereiro 2020

Mas o Senhor Deus chamou o homem, perguntando: “Onde está você?” E ele respondeu: “Ouvi Teus passos no jardim e fiquei com medo, porque estava nu; por isso me escondi” (Gn 3:9, 10).

Pois eu mesmo reconheço as minhas transgressões, e o meu pecado sempre me persegue. Contra Ti, só contra Ti, pequei e fiz o que Tu reprovas, de modo que justa é a Tua sentença e tens razão em condenar-me. Sei que sou pecador desde que nasci, sim, desde que me concebeu minha mãe (Sl 51:3-5).

Assim, encontro esta lei que atua em mim: Quando quero fazer o bem, o mal está junto a mim. Pois, no íntimo do meu ser tenho prazer na lei de Deus; mas vejo outra lei atuando nos membros do meu corpo, guerreando contra a lei da minha mente, tornando-me prisioneiro da lei do pecado que atua em meus membros. Miserável homem eu que sou! Quem me libertará do corpo sujeito a esta morte? (Rm 7:21-24).

Pois o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor (Rm 6:23).

Vocês estavam mortos em suas transgressões e pecados, nos quais costumavam viver, quando seguiam a presente ordem deste mundo […]. Anteriormente, todos nós também vivíamos entre eles, satisfazendo as vontades da nossa carne, seguindo os seus desejos e pensamentos. Como os outros, éramos por natureza merecedores da ira. Todavia, Deus, que é rico em misericórdia, pelo grande amor com que nos amou, deu-nos vida juntamente com Cristo, quando ainda estávamos mortos em transgressões — pela graça vocês são salvos (Ef 2:1-5).

  • A SITUAÇÃO DO PECADOR

A Palavra de Deus declara: “Todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus” (Rm 3:23). “Não há quem faça o bem, não há nem um só” (Rm 3:12). Muitos se enganam acerca do estado de seu coração. Não entendem que o coração natural é enganoso mais que todas as coisas, e perverso. Envolvem-se em sua própria justiça, e satisfazem-se com alcançar sua própria norma humana de caráter; mas quão fatalmente fracassam quando não alcançam a norma divina, e por si mesmos não podem satisfazer as reivindicações de Deus!

Podemos medir-nos por nós mesmos, podemos comparar-nos uns aos outros, podemos dizer que procedemos tão bem como Fulano ou Sicrano, mas a pergunta para a qual o juízo exigirá resposta é: Satisfazemos as reivindicações dos altos Céus? Alcançamos o padrão divino? Está nosso coração em harmonia com o Deus do Céu? ( Mensagens Escolhidas , v. 1, p. 320, 321).

  • SALVAÇÃO NO CALVÁRIO

Toda a família humana transgrediu a lei de Deus, e, como transgressor da lei, o ser humano está desesperadamente arruinado, pois ele é inimigo de Deus, sem forças para fazer qualquer coisa boa. “A inclinação da carne é inimizade contra Deus, pois não é sujeita à lei de Deus, nem, em verdade, o pode ser” (Rm 8:7). Olhando para o espelho moral – a santa lei de Deus – o homem se vê como pecador e se convence de seu estado mau, sua condenação sem esperanças, sob a justa penalidade da lei. Mas ele não foi abandonado ao estado de miséria sem esperança, no qual o pecado o mergulhou; pois foi para salvar o transgressor da ruína que Aquele que era igual a Deus ofereceu Sua vida em holocausto no Calvário. “Deus amou o mundo de tal maneira que deu o Seu Filho unigênito, para que todo aquele que Nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna” (Jo 3:16) ( Mensagens Escolhidas , v. 1, p. 321).

  • PRECISAMOS DE JESUS

Nunca podemos alcançar a perfeição por nossas próprias boas obras. A pessoa que vê a Jesus pela fé rejeita sua própria justiça. Encara a si mesma como incompleta, seu arrependimento como insuficiente, sua mais forte fé como sendo apenas debilidade, seu mais custoso sacrifício como escasso, e se prostra com humildade aos pés da cruz. Mas uma voz lhe fala dos oráculos da Palavra de Deus. Com assombro ela ouve a mensagem: “Nele, estais aperfeiçoados” (Cl 2:10). Agora tudo está em paz nessa pessoa. Não precisa mais se esforçar para encontrar algum merecimento em si mesma, alguma ação meritória pela qual alcance o favor de Deus. […]

Colocando-se diante da transgredida lei de Deus, o pecador não pode purificar a si mesmo; mas, crendo em Cristo, ele é o objeto de Seu amor infinito e revestido de Sua justiça imaculada ( Fé e Obras , p. 107, 108).

  • NOVO NASCIMENTO

Nosso coração é mau, e não conseguimos mudá-lo. “Quem da imundície poderá tirar coisa pura? Ninguém!” (Jó 14:4). “O pendor da carne é inimizade contra Deus” (Rm 8:7). A educação, a cultura, o exercício da vontade, o esforço humano, todas essas coisas têm sua importância, mas nesse caso não têm poder para mudar a situação. Podem até mostrar um comportamento aparentemente correto, mas não transformar o coração nem purificar as fontes da vida. […]

O Salvador disse: “Se alguém não nascer de novo”, a menos que receba um coração novo, novos desejos, propósitos e motivos, e passe a viver uma vida nova, “não pode ver o reino de Deus” (Jo 3:3). A ideia de que é preciso apenas desenvolver o bem que existe naturalmente dentro da pessoa é um engano fatal. “O homem natural não aceita as coisas do Espírito de Deus, porque lhe são loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente” (1Co 2:14). “Não te admires de Eu te dizer: importa-vos nascer de novo” (Jo 3:7). Está escrito acerca de Cristo: “A vida estava Nele, e a vida era a luz dos homens” (Jo 1:4). Ele é o único “nome dado entre os homens, pelo qual importa que sejamos salvos” (At 4:12) ( Caminho a Cristo , p. 18, 19).

  • A ALEGRIA DO PERDÃO

Contemplando o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo, ela [a pessoa] encontra a paz de Cristo; pois o perdão é aposto ao seu nome, e ela aceita a Palavra de Deus: “Nele estais aperfeiçoados” (Cl 2:10). Quão difícil é para a humanidade, por muito tempo acostumada a acalentar a dúvida, aceitar essa grandiosa verdade! Todavia, que paz ela traz à pessoa, e que vitalidade! Olhando para nós mesmos em busca de justiça, para encontrar a aceitação diante de Deus, olhamos para o lugar errado, “porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus” (Rm 3:23). Devemos olhar para Jesus, porque “todos nós com o rosto desvendado, contemplando, como por espelho, a glória do Senhor, somos transformados de glória em glória, na Sua própria imagem” (2Co 3:18) ( Fé e Obras , p. 107, 108).

  • SALVOS PELA GRAÇA

Perdão e justificação são uma só e a mesma coisa. Pela fé, o crente passa da posição de rebelde, de filho do pecado e de Satanás, para a posição de súdito leal de Cristo Jesus, não por causa de alguma bondade inerente, mas porque Cristo o recebe como Seu filho, por adoção. […]

O pecador pode errar, mas ele não é rejeitado sem misericórdia. Sua única esperança, porém, é arrependimento para com Deus e fé no Senhor Jesus Cristo. A prerrogativa do Pai é perdoar nossas transgressões e pecados, porque Cristo tomou sobre Si nossa culpa e nos absolveu, imputando-nos Sua própria justiça. Seu sacrifício satisfaz plenamente as reivindicações da justiça.

Justificação é o contrário de condenação. A infinita misericórdia de Deus é manifestada para os que são completamente indignos. Ele perdoa as transgressões e os pecados por amor a Jesus, o qual Se tornou a propiciação pelos nossos pecados. Pela fé em Cristo, o transgressor culpado é conduzido ao favor de Deus e à forte esperança da vida eterna ( Fé e Obras , p. 103, 104).

  • FÉ TRANSFORMADORA

O crente é justificado sem qualquer mérito próprio, sem nenhum direito a alegar diante de Deus. Ele é justificado pela redenção que há em Cristo Jesus, que está nas cortes do Céu como substituto e penhor do pecador. Mas, embora seja justificado por virtude dos méritos de Cristo, ele não é livre para praticar a injustiça. A fé atua por amor e purifica o coração. A fé desabrocha e floresce, trazendo uma colheita de fruto precioso. Onde há fé, aparecem as boas obras. Os doentes são visitados, os pobres são cuidados, os órfãos e as viúvas não são negligenciados, os que carecem de roupa são atendidos e os famintos são alimentados. Cristo andou fazendo o bem, e, quando as pessoas se unem a Ele, amam os filhos de Deus, e a mansidão e a verdade guiam seus passos. A expressão do semblante revela sua experiência, e os outros reconhecem neles pessoas que estiveram com Jesus e Dele aprenderam. Cristo e o crente tornam-se um, e Sua formosura de caráter se revela naqueles que se acham vitalmente ligados com a Fonte de poder e amor. Cristo é o grande depositário da justificadora justiça e da graça santificante ( Mensagens Escolhidas , v. 1, p. 398).

A fé genuína se manifestará em boas obras, pois boas obras são frutos da fé. […] É pela contínua entrega da vontade, pela obediência constante, que se retém a bênção da justificação.

Os que são justificados pela fé devem ter no coração o desejo de andar nos caminhos do Senhor. […] A fé que não produz boas obras não justifica a alma (ibid., p. 397).


MOTIVO DE ORAÇÃO

1. Reavivamento pessoal.


ATIVIDADE MISSIONÁRIA

Escolha cinco amigos que ainda não tomaram a decisão de entregar a vida a Cristo e um que está afastado da igreja para orar por eles.

Facebook Comments

sobre baixoguandu

É um grande privilégio de elaboração do site PORTAL ADVENTISTA DE BAIXO GUANDU/ES, para a divulgação aqui na cidade local. Nosso Objetivo é divulgarmos os programas que se realizam na Igreja Adventista do Sétimo Dia em Baixo Guandu/ES, em prol do Evangelho Eterno, assim diz o Senhor: “ Breve Jesus Cristo Voltará” Apocalipse 22:1-21. Portanto não será então em benefício próprio, sim a necessidade desse divulgação nessa cidade que todos se entregam sua vida a Jesus Cristo, nosso Salvador.

Além disso, verifique!

Tema 1 – A necessidade do resgate | 10 Dias de Oração (áudio)

Facebook Comments

Deixe uma resposta

×

Portal Adventista de Baixo Guandu/ES

Seja Bem-Vindos (as) ao Portal Adventista de Baixo Guandu/ES. Conheça os Materiais e Conteúdos da Igreja Local e Mundial.

× Atendimento Online!