Dia 08: O Resgate dos Autoconfiantes – 13 de Fevereiro 2020

Havia um fariseu chamado Nicodemos, uma autoridade entre os judeus.

Ele veio a Jesus, à noite, e disse: “Mestre, sabemos que ensinas da parte de Deus, pois ninguém pode realizar os sinais milagrosos que estás fazendo, se Deus não estiver com Ele.” Em resposta, Jesus declarou: “Digo-lhe a verdade: Ninguém pode ver o Reino de Deus, se não nascer de novo.”

Perguntou Nicodemos: “Como alguém pode nascer, sendo velho? É claro que não pode entrar pela segunda vez no ventre de sua mãe e renascer!”

Respondeu Jesus: “Digo-lhe a verdade: Ninguém pode entrar no Reino de Deus, se não nascer da água e do Espírito. O que nasce da carne é carne, mas o que nasce do Espírito é espírito. Não se surpreenda pelo fato de Eu ter dito: É necessário que vocês nasçam de novo. O vento sopra onde quer. Você o escuta, mas não pode dizer de onde vem nem para onde vai. Assim acontece com todos os nascidos do Espírito.”

Perguntou Nicodemos: “Como pode ser isso?”

Disse Jesus: “Você é mestre em Israel e não entende essas coisas?” […] Porque Deus tanto amou o mundo que deu o Seu Filho Unigênito, para que todo o que Nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna (Jo 3:1-10, 16).

  • ATRAÍDO POR JESUS

Nicodemos ocupava uma alta posição entre a nação judaica. Possuía educação superior e talentos acima do comum, sendo membro honrado do conselho nacional. Juntamente com outros, fora tocado pelos ensinos de Jesus. Embora rico, instruído e honrado, sentira-se estranhamente atraído pelo humilde Nazareno. As lições recebidas diretamente dos lábios do Salvador o haviam impressionado muito, e desejava conhecer mais sobre essas maravilhosas verdades. Queria muito conversar com Jesus, mas tinha receio de procurá-Lo na presença de outras pessoas. Seria humilhante demais, para um grande líder judeu, declarar-se simpatizante de um mestre ainda tão pouco conhecido. Se esse contato chegasse ao conhecimento do Sinédrio, isso lhe atrairia o desprezo e as acusações do conselho. Decidiu conversar em segredo (O Desejado de Todas as Nações, p. 167, 168).

  • INCREDULIDADE SUBJACENTE

Na presença de Cristo, Nicodemos experimentou uma estranha timidez, que tentou ocultar sob um ar de compostura e dignidade. […] Ao falar dos raros dons de Cristo como mestre e de Seu maravilhoso poder de realizar milagres, Nicodemos esperava preparar o terreno para a conversa que pretendia ter. Suas palavras tinham como objetivo expressar e despertar confiança; porém, na realidade, demonstravam incredulidade. Não reconheceu Jesus como o Messias, mas apenas como um mestre enviado por Deus.

[…] Jesus fixou os olhos no visitante, como se estivesse lendo seu coração. Em Sua infinita sabedoria, viu nele alguém que buscava a verdade. Sabia o objetivo daquela visita e, no desejo de aprofundar a convicção já existente no coração do ouvinte, foi diretamente ao ponto, dizendo solene mas bondosamente: “Em verdade, em verdade te digo que, se alguém não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus” (Jo 3:3) (O Desejado de Todas as Nações, p. 170).

  • FALSA SEGURANÇA

Nicodemos ouvira a pregação de João Batista quanto ao arrependimento e ao batismo, e indicando ao povo Aquele que havia de batizar com o Espírito Santo. […] A figura do novo nascimento, empregada por Jesus, não deixava de ser familiar a Nicodemos. Os conversos do paganismo à fé de Israel eram muitas vezes comparados a crianças recém-nascidas. […] Em virtude de seu nascimento como israelita, entretanto, considerava-se seguro de um lugar no reino de Deus. Colhido de improviso, respondeu a Cristo em palavras plenas de ironia: “Como pode um homem nascer, sendo velho?” (Jo 3:4). […] Mas o Salvador não enfrentou argumento com argumento. Erguendo a mão em solene e calma dignidade, acentuou a verdade com mais firmeza: “Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer da água e do Espírito não pode entrar no reino de Deus.” (Jo 3:5). Nicodemos sabia que Jesus Se referia aí ao batismo de água, e à renovação da alma pelo Espírito de Deus. Ficou convencido de achar-se na presença Daquele que João Batista predissera (O Desejado de Todas as Nações, 171, 172).

  • COMO A CONVERSÃO ACONTECE

Talvez uma pessoa não seja capaz de dizer o momento ou o lugar exatos de sua conversão, nem relembrar todos os passos desse processo; porém, isso não prova que ela não está convertida. Por meio de um agente tão invisível como o vento, Cristo está continuamente agindo no coração. Pouco a pouco, talvez sem que a pessoa tenha consciência do fato, produzem- se influências que tendem a atrair a mente para Cristo. Isso pode ocorrer quando se medita Nele, quando se lê as Escrituras ou quando se ouve a mensagem do pregador. De repente, quando o Espírito chega com um apelo mais direto, a pessoa se entrega alegremente a Jesus. Isso é chamado por muitos de conversão repentina; mas é o resultado de um longo processo de conquista efetuado pelo Espírito de Deus – um processo que requer paciência e tempo. […] Quando o Espírito de Deus toma posse do coração, transforma a vida. Os pensamentos pecaminosos são afastados, e as más ações são renunciadas; o amor, a humildade e a paz ocupam o lugar da ira, da inveja e da contenda. A alegria substitui a tristeza, e o rosto reflete a luz do Céu. Ninguém vê a mão que suspende o fardo nem a luz que desce das cortes celestiais. A bênção vem quando, pela fé, o coração se entrega a Deus. Então aquele poder que ninguém consegue ver cria um novo ser à imagem de Deus (O Desejado de Todas as Nações, p. 172, 173).

  • OLHAR, CRER E VIVER

A mais rígida obediência à simples letra da lei, em relação à vida exterior, não poderia habilitar ninguém a entrar no reino do Céu. No conceito humano, sua vida [de Nicodemos] tinha sido justa e digna de honra; mas, na presença de Cristo, sentia que seu coração era impuro, e sua vida, destituída de santidade.

Nicodemos estava sendo atraído para Cristo. Quando o Salvador lhe explicou o que dizia respeito ao novo nascimento, ele ansiava experimentar essa mudança em si mesmo. Como isso poderia ocorrer? Jesus respondeu à pergunta não formulada: “Do modo por que Moisés levantou a serpente no deserto, assim importa que o Filho do Homem seja levantado, para que todo o que Nele crê tenha a vida eterna” (Jo 3:14, 15).

Não é por meio de debates e discussões que a mente é iluminada. Devemos olhar e viver. Nicodemos recebeu a lição e levou-a consigo. Examinou as Escrituras de maneira nova, não para discutir uma teoria, mas a fim de receber a vida eterna. Ao submeter-se à direção do Espírito Santo, começou a ver o reino de Deus (O Desejado de Todas as Nações, p. 174, 175).

  • O MUNDO OU CRISTO

Alguns estão continuamente preferindo o mundo. Seus pontos de vista e sentimentos se harmonizam muito mais com o espírito do mundo do que com os dedicados seguidores de Cristo. É perfeitamente natural que prefiram a companhia daqueles que pensam como eles. E esses têm muitíssima influência entre o povo de Deus. Participam com eles e têm um nome entre eles; e isso chama a atenção dos incrédulos, dos fracos e dos não consagrados da igreja. Neste tempo de aperfeiçoamento, esses que se dizem crentes se converterão totalmente e se santificarão pela obediência à verdade ou serão deixados com o mundo, para receber sua recompensa com os incrédulos (Só Para Jovens, p. 43).

  • VIDA NOVA HOJE

Hoje em dia, milhares de pessoas necessitam da mesma verdade ensinada a Nicodemos por meio da serpente levantada. Confiam em sua obediência à lei de Deus para obter Sua aprovação. Quando são convidadas a olhar para Jesus e crer que Ele as salva apenas pela Sua graça, exclamam: “Como isso pode acontecer?”

Por meio da fé, recebemos a graça de Deus; mas a fé não é nosso Salvador. Ela não obtém nada. Ela é a mão que se apega a Cristo e se apodera de Seus méritos; o remédio contra o pecado.

A luz que brilha da cruz revela o amor de Deus. Seu amor nos atrai a Ele. Se não resistirmos a essa atração, seremos levados ao pé da cruz em arrependimento pelos pecados que crucificaram o Salvador. Então o Espírito de Deus, por meio da fé, produz uma nova vida (O Desejado de Todas as Nações, p. 175, 176).


MOTIVO DE ORAÇÃO

1. Para que eu encontre novas oportunidades para testemunhar da minha fé a cada dia.

 

2. Para que meus cinco amigos de oração aceitem estudar a Bíblia.

 

3. Por meu amigo que está afastado da igreja.


ATIVIDADE MISSIONÁRIA

Reforçar o convite ao amigo que está afastado da igreja para que participe do encerramento dos 10 Dias de Oração e almoce em minha casa ou igreja no sábado.

Facebook Comments

sobre baixoguandu

É um grande privilégio de elaboração do site PORTAL ADVENTISTA DE BAIXO GUANDU/ES, no dia 18 de Setembro 2014 para a divulgação aqui na cidade local, regional e em todos os Países. Nosso Objetivo é divulgarmos os programas, materiais entre outros que se realizam na Igreja Adventista do Sétimo Dia, em prol do Evangelho Eterno, assim diz o Senhor: “ Breve Jesus Cristo Voltará” Apocalipse 22:1-21. Portanto não será então em benefício próprio, sim a necessidade desse divulgação nessa cidade que todos se entregam sua vida a Jesus Cristo, nosso Salvador. Att: Thiago Amaral de Oliveira - Baixo Guandu/ES.

Além disso, verifique!

Tema 1 – A necessidade do resgate | 10 Dias de Oração (áudio)

Facebook Comments

×

Portal Adventista de Baixo Guandu/ES

Seja Bem-Vindos (as) ao Portal Adventista de Baixo Guandu/ES. Conheça os Materiais e Conteúdos da Igreja Local e Mundial.

× Atendimento Online!