Dia 09: O Resgate para uma Nova Vida – 14 de Fevereiro 2020

Os mestres da lei e os fariseus trouxeram-lhe uma mulher surpreendida em adultério. Fizeram-na ficar em pé diante de todos e disseram a Jesus: “Mestre, esta mulher foi surpreendida em ato de adultério. Na Lei, Moisés nos ordena apedrejar tais mulheres. E o Senhor, que diz?”

Eles estavam usando essa pergunta como armadilha, a fim de terem uma base para acusá-Lo. Mas Jesus inclinou-Se e começou a escrever no chão com o dedo. Visto que continuavam a interrogá-Lo, Ele Se levantou e lhes disse: “Se algum de vocês estiver sem pecado, seja o primeiro a atirar pedra nela.”

Inclinou-se novamente e continuou escrevendo no chão. Os que O ouviram foram saindo, um de cada vez, começando pelos mais velhos. Jesus ficou só, com a mulher em pé diante Dele. Então Jesus pôs-Se em pé e perguntou-lhe: “Mulher, onde estão eles? Ninguém a condenou?” “Ninguém, Senhor”, disse ela. Declarou Jesus: “Eu também não a condeno. Agora vá e abandone sua vida de pecado” (Jo 8:3-11).

O Senhor Deus diz: “Venham cá, vamos discutir este assunto. Os seus pecados os deixaram manchados de vermelho, manchados de vermelho escuro; mas Eu os lavarei, e vocês ficarão brancos como a neve, brancos como a lã” (Is 1:18, NTLH).

  • UMA ARMADILHA MALICIOSA

Aproximou-se Dele um grupo de fariseus e escribas, arrastando consigo uma aterrorizada mulher. Com voz agressiva, eles a acusavam de ter violado o sétimo mandamento. Havendo-a empurrado até a presença de Jesus, disseram-Lhe com hipócrita manifestação de respeito: “Na lei nos mandou Moisés que tais mulheres sejam apedrejadas; Tu, pois, que dizes?” (Jo 8:5).

O fingido respeito deles ocultava uma cilada muito bem arquitetada para destruir Jesus. Usaram essa oportunidade para assegurar Sua condenação, julgando que, qualquer que fosse a decisão tomada por Cristo, poderiam acusá-Lo. Se absolvesse a mulher, seria acusado de desprezar a lei de Moisés. Se Ele a declarasse digna de morte, seria denunciado aos romanos como tendo assumido autoridade que pertencia só a eles (O Desejado de Todas as Nações, p. 460, 461).

  • HIPOCRISIA DESMASCARADA

Impacientes com Sua demora e aparente indiferença, os acusadores se aproximaram, insistindo em atrair a atenção Dele ao assunto. Porém, ao acompanharem com os olhos o olhar de Jesus, fixaram a vista no chão aos Seus pés, e seus semblantes se transtornaram. Ali, traçados diante deles, estavam os criminosos segredos de sua vida. O povo, olhando, reparou na súbita mudança de expressão e se aproximou para descobrir o que eles estavam olhando com tanto espanto e vergonha.

Com toda a sua suposta reverência pela lei, esses rabinos estavam desatendendo às exigências da própria lei, ao trazerem a acusação contra a mulher. Era dever do marido mover uma ação contra ela, e as partes culpadas deviam ser igualmente punidas. A atitude dos acusadores não tinha nenhuma autoridade. Entretanto, Jesus os rebateu com as próprias armas deles. A lei especificava que, nas mortes por apedrejamento, as testemunhas do caso fossem as primeiras a lançar a pedra. Erguendo-Se, então, e fixando os olhos nos anciãos autores da trama, Jesus disse: “Aquele que dentre vós estiver sem pecado seja o primeiro que lhe atire pedra” (Jo 8:7). E, inclinando- Se, continuou a escrever no chão.

Ele não deixara de lado a lei dada por Moisés nem havia sido contra a autoridade de Roma. Os acusadores haviam sido derrotados. Então, rasgadas as vestes da pretensa santidade, eles se viram culpados e condenados na presença da Infinita Pureza. Tiveram medo de que as iniquidades ocultas de sua vida fossem expostas à multidão; e um a um, cabisbaixos e confusos, foram se afastando silenciosos, deixando a vítima com o misericordioso Salvador (O Desejado de Todas as Nações, p. 461).

  • A COMPAIXÃO LEVA AO ARREPENDIMENTO

Jesus Se ergueu e, olhando para a mulher, disse: “Mulher, onde estão aqueles teus acusadores? Ninguém te condenou? Respondeu ela: Ninguém, Senhor! Então, lhe disse Jesus: Nem Eu tampouco te condeno; vai e não peques mais” (Jo 8:10, 11).

A mulher […] não ousava levantar os olhos para o rosto do Salvador, mas aguardava em silêncio a condenação. Surpresa, viu os acusadores partirem mudos e desconcertados; então, chegaram-lhe aos ouvidos as palavras de esperança: “Nem Eu tampouco te condeno; vai e não peques mais” (v. 11). O coração da mulher ficou comovido, e ela se atirou aos pés de Jesus, soluçando em seu agradecido amor e confessando seus pecados com amargas lágrimas (O Desejado de Todas as Nações, p. 461, 462).

  • RESGATADA PARA UMA NOVA VIDA

Isso foi para ela o início de uma nova vida, uma vida de pureza e paz, entregue ao serviço de Deus. Ao reerguer essa pessoa decaída, Jesus realizou um milagre maior do que na cura da mais grave enfermidade física; curou a enfermidade espiritual que traz a morte eterna. Essa mulher arrependida se tornou um de Seus mais fiéis seguidores. Com abnegado amor e devoção, retribuiu-Lhe Sua misericórdia perdoadora. Em Seu ato de perdoar essa mulher e encorajá-la a viver uma vida melhor, o caráter de Jesus resplandece na beleza da perfeita justiça. Embora não seja brando com o pecado, nem diminua o sentimento da culpa, Ele não deseja condenar, mas salvar. O mundo tinha apenas desprezo e zombaria para essa degradada mulher, mas Jesus proferiu palavras de conforto e esperança. O Inocente Se compadeceu da fraqueza da pecadora e estendeu-lhe a mão pronta a ajudar. Enquanto os fariseus hipócritas denunciavam, Jesus lhe recomendava: “Vai e não peques mais” (Jo 8:11) (O Desejado de Todas as Nações, p. 462).

  • ODIAR O PECADO E AMAR O PECADOR

Aquele que, desviando os olhos, se afasta das pessoas que erram, deixando-as prosseguir sem advertência em sua vida degradante, não é seguidor de Cristo. Aqueles que estão sempre prontos a acusar os outros e se empenham em levá-los à justiça são muitas vezes, em sua própria vida, mais culpados do que eles. As pessoas odeiam o pecador, enquanto amam o pecado. Cristo odeia o pecado, mas ama o pecador. Esse será o espírito de todos aqueles que O seguem. O amor cristão é tardio em censurar, mas é rápido em perceber o arrependimento, pronto a perdoar, a encorajar, a colocar aquele que está perdido na trilha da santidade e firmar seus pés nesse caminho (O Desejado de Todas as Nações, p. 462).

  • NOSSA NECESSIDADE DO SALVADOR

Jesus conhece as circunstâncias de toda pessoa. Quanto maior a culpa do pecador, tanto mais necessita ela do Salvador. Seu coração de divino amor e simpatia é atraído acima de tudo para aquele que se acha mais desesperadoramente enredado nos laços do inimigo. Com o próprio sangue Ele assinou a carta de emancipação da raça humana.

Jesus não deseja que fiquem desprotegidos ante às tentações de Satanás os que por tal preço foram adquiridos. Não deseja que sejamos vencidos e venhamos a perecer. […] Não repele nenhuma criatura chorosa e arrependida. Perdoa totalmente todos quantos O procuram em busca de perdão e restauração. Ele não conta a ninguém tudo quanto poderia revelar, mas manda a toda pessoa abatida que tenha ânimo. Quem quiser pode se apoderar da força de Deus e fazer paz com Ele, e Ele fará paz (A Ciência do Bom Viver, p. 89, 90).

  • DEVER SAGRADO

Todo aquele que crê em Cristo como Salvador pessoal está sob a obrigação para com Deus de ser puro e santo, de ser um obreiro espiritual, procurando salvar os perdidos, quer sejam grandes ou pequenos, ricos ou pobres, escravos ou livres. A maior obra na Terra é buscar e salvar os que estão perdidos, por quem Cristo pagou o infinito preço de Seu próprio sangue. Cada um deve fazer diligente serviço, e se os que têm sido favorecidos pela luz não a difundirem para outros, eles perderão a rica graça que lhes foi concedida, por negligenciarem um dever sagrado claramente indicado na Palavra de Deus (E Recebereis Poder, p. 161).

  • TRABALHANDO COM DEUS

Deus espera que vocês, o instrumento humano, cumpram seu dever da melhor maneira possível, e Ele mesmo dará o crescimento. Se os instrumentos humanos cooperassem com os seres divinos, seriam salvas milhares de pessoas (E Recebereis Poder, p. 161). O divino e o humano devem unir-se, tornando-se colaboradores na obra de reerguer o ser humano e nele restaurar a imagem moral de Deus. […] Ajam inteligente e perseverantemente. Não desanimem se desde logo não têm toda a simpatia e cooperação que esperam. Se trabalham fazendo do Senhor sua dependência, estejam certos de que o Senhor sempre ajuda o humilde, manso e simples. Mas vocês necessitam a operação do Espírito Santo sobre seu coração e mente, a fim de saber como prestar ajuda cristã. Orem muito por aqueles que estão procurando ajudar. Vejam eles que sua dependência é de um poder mais alto, e assim vocês os ganharão para Cristo (Beneficência Social, p. 245).


MOTIVO DE ORAÇÃO

1. Pelos jovens da igreja, principalmente os que estão afastados.

 

2. Para que meus cinco amigos de oração aceitem estudar a Bíblia.

 

3. Por meu amigo que está afastado da igreja.


ATIVIDADE MISSIONÁRIA

Oferecer um estudo bíblico para os cinco amigos de oração.

Facebook Comments

sobre baixoguandu

É um grande privilégio de elaboração do site PORTAL ADVENTISTA DE BAIXO GUANDU/ES, no dia 18 de Setembro 2014 para a divulgação aqui na cidade local, regional e em todos os Países. Nosso Objetivo é divulgarmos os programas, materiais entre outros que se realizam na Igreja Adventista do Sétimo Dia, em prol do Evangelho Eterno, assim diz o Senhor: “ Breve Jesus Cristo Voltará” Apocalipse 22:1-21. Portanto não será então em benefício próprio, sim a necessidade desse divulgação nessa cidade que todos se entregam sua vida a Jesus Cristo, nosso Salvador. Att: Thiago Amaral de Oliveira - Baixo Guandu/ES.

Além disso, verifique!

Tema 1 – A necessidade do resgate | 10 Dias de Oração (áudio)

Facebook Comments

×

Portal Adventista de Baixo Guandu/ES

Seja Bem-Vindos (as) ao Portal Adventista de Baixo Guandu/ES. Conheça os Materiais e Conteúdos da Igreja Local e Mundial.

× Atendimento Online!