E quando não “sentimos” o poder?

É bastante comum, no meio evangélico, a ideia de que o poder do Espírito Santo se manifesta em sensações de êxtase, mas isso não é verdade.

Já faz dois anos que uma irmã pentecostal frequenta uma das igrejas que pastoreio. Ela já recebeu duas séries completas de estudos bíblicos, é assinante da lição da Escola Sabatina e lê todas as nossas revistas. Diariamente, compartilha vídeos produzidos pela Igreja Adventista em suas redes sociais. Sempre atende aos apelos, mas nunca se decidiu pelo batismo. Seu argumento para rejeitar esse chamado é o de que na comunidade pentecostal ela “sente o poder” que não consegue sentir na igreja adventista. Mesmo assim, um casal muito firme da nossa congregação segue discipulando-a em todas as áreas nas quais podem abraçá-la.

Leia também:

Em outra das minhas igrejas, uma família apareceu, por iniciativa própria, afirmando que decidiram vir porque estavam aprendendo muitas coisas com a TV Novo Tempo; coisas que não lhes eram ensinadas na igreja pentecostal que frequentavam há anos. Eles se mostraram muito interessados em saber como poderiam exercer todas as práticas da vida cristã de forma correta. Então, nós os convidamos a tornarem tudo isso mais pleno sendo admitidos como membros adventistas. Logo o casal e sua filha foram batizados e, ao longo dos meses que se seguiram, enquanto ministrei-lhes uma série completa de estudos bíblicos, eles passaram a praticar cada uma das coisas que aprenderam.

Podemos ser diferentes?

Leia os textos bíblicos a seguir e observe o apóstolo Pedro em três situações distintas:

Primeiramente, em Mateus 26:69-74 você se depara com um discípulo que, apesar de estar seguindo a Jesus, ainda não estava convertido. Antes de aceitar o sacrifício de Cristo na cruz do Calvário, Pedro demonstrava não saber o que é estar com Jesus; negava ter andado com Ele, jurava que não O conhecia e era arrogante, praguejando a qualquer um que afirmasse o contrário. Estava perdido.

Num segundo momento, você o visualiza em João 21:15-19, numa praia, reavivando e reformando a sua vida. Após ter contemplado o Mestre ressuscitado, afirmava veementemente o seu amor por Jesus e comportava-se de forma humilde ao repetir isso. Então, recebe uma missão.

Por último, em Atos 5:28-32 podemos observar um Pedro totalmente transformado. Tendo experimentado o verdadeiro pentecostes, aquele homem agora é ousado em declarar sua lealdade a Deus, em testemunhar que havia estado com Jesus e em se posicionar ao lado dEle. Parece pronto para morrer por seu Mestre. Aqui, ele está cumprindo o seu propósito.

O que aconteceu? De fraco a forte, de inseguro a determinado, o discípulo vazio (que antes era cheio apenas de si mesmo), depois de experimentar a plenitude do poder do Espírito Santo em sua vida, tornou-se cheio de fé e obediência. Um crente transformado. Esse é o tipo de reforma que o reavivamento traz à vida do cristão que, de fato, o experimenta; uma diferença que faz muito sentido.

O autêntico reavivamento

É interessante observar a maturidade daquela família que batizei, que busca o verdadeiro fruto do reavivamento: a obediência. Isso fica evidente nas suas vidas transformadas sem nenhum sentimentalismo. Enquanto isso, a irmã do início desse texto segue esperando encontrar um suposto avivamento em sensações físicas. Ela poderá até sentir-se melhor quando permitir que o Espírito Santo trabalhe em sua vida, mas a verdadeira experiência encontra-se na fé para obedecer e na coragem para testemunhar.

O entusiasmo de Pedro recebeu um banho de santificação, suficiente para que ele não continuasse querendo as coisas do seu jeito, mas entregando-se ao controle de Deus. Se você quiser vivenciar a autêntica experiência de reavivamento e a verdadeira reforma, precisa entender que o poder que receberá não é uma descarga emocional, mas o impetuoso desejo de fazer a vontade de Deus. Ele não quer que você apenas passe por um êxtase sentimental; Ele deseja que sua vida fique realmente diferente, mais semelhante a Ele.

Facebook Comments

sobre baixoguandu

Avatar
É um grande privilégio de elaboração do site PORTAL ADVENTISTA DE BAIXO GUANDU/ES, no dia 18 de Setembro 2014 para a divulgação aqui na cidade local, regional e em todos os Países. Nosso Objetivo é divulgarmos os programas, materiais entre outros que se realizam na Igreja Adventista do Sétimo Dia, em prol do Evangelho Eterno, assim diz o Senhor: “ Breve Jesus Cristo Voltará” Apocalipse 22:1-21. Portanto não será então em benefício próprio, sim a necessidade desse divulgação nessa cidade que todos se entregam sua vida a Jesus Cristo, nosso Salvador. Att: Thiago Amaral de Oliveira - Baixo Guandu/ES.

Além disso, verifique!

Desenvolvimento pessoal contínuo

“… cada um com uma das mãos fazia a obra e na outra tinha as …

Deixe uma resposta

×

Portal Adventista de Baixo Guandu/ES

Seja Bem-Vindos (as). Conheça os Materiais e Conteúdos da Igreja Local e Mundial.

× Atendimento Online!