Entrega completa

Para muitas pessoas, a palavra “jejum” lembra apenas dieta, estética, greve de fome ou algum tipo de protesto. Mas o verdadeiro jejum é anterior ao surgimento da greve de fome, na Irlanda do século 8, e aos estudos sobre o seu efeito no corpo humano. Sua origem é espiritual e apresenta um convite para nos concentrarmos mais intensamente nas coisas de Deus, fazendo da comunhão algo mais importante do que a própria comida.

LEIA TAMBÉM:

Clamor por restauração

Sem dúvida, os efeitos do jejum para a saúde são reais e têm sido avaliados em muitas pesquisas recentes. Além da perda de peso, ele pode ajudar a diminuir processos inflamatórios, reduzir a pressão arterial, melhorar as taxas de açúcar e gordura no sangue, prevenir diabetes e controlar variações de humor (sempre acompanhado por um profissional de saúde).

A greve de fome tem marcado importantes capítulos da história. Mahatma Gandhi foi o líder político mais famoso a fazer uso desse recurso. Barry Horne fez a greve de fome mais extensa para defender uma causa social (direitos dos animais), ficando 68 dias sem comer. O caso mais complexo, porém, foi o da ativista indiana Irom Sharmila, que passou 16 anos sem ingerir alimento, sendo nutrida à força por uma sonda.

O jejum bíblico vai além das dietas ou protestos. Segundo Ellen White, ele “rende a Deus mente, coração e vontade” (Conselhos Sobre o Regime Alimentar, p. 189). É uma busca tão profunda pelo Senhor a ponto de deixar outras coisas em segundo lugar, inclusive a comida. “O jejum nos faz recordar que conseguimos sobreviver sem a maioria das coisas por um tempo, mas não sem Deus” (S. Joseph Kidder e Kristy L. Hodson, Revista Adventista, fevereiro de 2017, p. 15).

Chegou a hora de restaurar a prática do jejum e a experiência de consagração entre o povo de Deus

As histórias de jejum se multiplicam na Bíblia. Começam com Moisés ao receber as novas tábuas da lei (Êx 34:28) e se tornam coletivas quando os israelitas vivem um momento de humilhação e derrota (Jz 20:26). Quando o Senhor foi o centro, o jejum promoveu reavivamento, arrependimento, proteção, cura e compromisso espiritual. Porém, quando os interesses foram outros, ele se transformou em apostasia, falsidade e idolatria (Is 58). Depois de ter Sua própria experiência de jejum, Jesus lembrou que “o ser humano não viverá só de pão, mas de toda a palavra que procede da boca de Deus” (Mt 4:4). Para que isso aconteça nos últimos dias, o profeta Joel ainda recomenda: “proclamem um santo jejum, convoquem uma reunião solene” (Jl 2:15).

Nossa igreja começou valorizando esses movimentos de consagração. Entre 1850 e 1900 foram convocados 42 jejuns especiais. Chegou a hora de restaurar essa experiência na vida do povo de Deus. Ainda mais agora, que vemos os eventos finais diante de nossos olhos, a pandemia trazendo muito sofrimento, o inimigo se tornando mais ousado e o mundo esperando pelo evangelho do reino. De agora até o fim, o povo de Deus deve “pôr de parte dias de jejum e oração”, afirmou Ellen White (Conselhos Sobre o Regime Alimentar, p. 188,189).

No dia 1º de maio, cada adventista na América do Sul está sendo convidado para um sábado de jejum e oração. Você pode seguir as diferentes opções bíblicas e experimentar um jejum total, sem alimento e sem água; um jejum normal, sem alimento, mas com uso de água; ou um jejum parcial, em que apenas alguns alimentos são excluídos da dieta. O importante é participar deste movimento de restauração e fazer uma entrega mais completa ao Senhor.

ERTON KÖHLER, presidente da Divisão Sul-Americana de 2006 a 2021, é o novo secretário executivo da sede mundial da Igreja Adventista, em Silver Spring (EUA)

Facebook Comments Box

sobre Portal Adventista Baixo Guandu

"É um grande privilégio de elaboração do site PORTAL ADVENTISTA DE BAIXO GUANDU/ES, no dia 18 de Setembro 2014 para a divulgação aqui na cidade local, regional e em todos os Países. Nosso Objetivo é divulgarmos os programas, materiais entre outros que se realizam na Igreja Adventista do Sétimo Dia, em prol do Evangelho Eterno, assim diz o Senhor: “ Breve Jesus Cristo Voltará” Apocalipse 22:1-21. Portanto não será então em benefício próprio, sim a necessidade desse divulgação nessa cidade que todos se entregam sua vida a Jesus Cristo, nosso Salvador. Att: Thiago Amaral de Oliveira - Baixo Guandu/ES."

Além disso, verifique!

O ciclo do sétimo dia

Típica paisagem de floresta é um exemplo da criação divina que tem como seu memorial …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezessete − 12 =

×

Sejam Bem-Vindos!

Sejam Bem Vindos ao Nosso Portal Adventista de Baixo Guandu/ES. Estamos a Disposição 24 Horas.

× Fale Conosco 24 horas!