PDF – Sermão Dia Mundial do Jovem Adventista 2021

FAZER DOWNLOAD AQUI








SERMÃO DIA MUNDIAL JOVEM ADVENTISTA 2021 – TEXTOS

TEXTO-BASE:

“Vi um outro anjo voando pelo meio do céu, tendo o evangelho eterno para proclamar aos que habitam na terra, a toda nação, tribo, língua e povo” (Apocalipse 14:6).


INTRODUÇÃO: 

Em 1846, Tiago White escreveu um pequeno panfleto intitulado Uma Palavra ao Pequeno Rebanho. Essa é a primeira publicação na qual o movimento adventista é identificado como o remanescente. Desde a nossa origem, temos acreditado que Deus sempre teve adoradores fiéis que aceitaram o desafio de proclamar a mensagem divina de restauração e esperança para preparar as pessoas para a volta de Jesus. Porém, foi somente no início da década de 1870 que a Igreja Adventista entendeu que essa mensagem deveria ser pregada a todo o mundo. Em 1871, Ellen White relatou uma visão na qual foi-lhe mostrado que “os jovens se devem qualificar mediante a familiarização com outras línguas, a fim de que Deus possa usá-los como instrumentos
para comunicar Sua salvadora verdade aos povos de outras nações” (Testemunhos Para a Igreja, p. 204). Pouco tempo depois, Tiago White aplicou pela primeira vez o texto de Apocalipse 14:6 e a ordem de Apocalipse 10:11, “importa que profetizes outra vez a muitos povos, línguas, tribos e nações”, à comissão mundial da Igreja Adventista do Sétimo Dia. Hoje, embora sejamos a denominação protestante com maior presença mundial, operando institucionalmente em quase todos os países do mundo, o desafio continua.

I. O DESAFIO DO REMANESCENTE

A. Em 1900, 14% da população mundial viviam em áreas urbanas e apenas doze cidades tinham mais de um milhão de habitantes. Em 2021, mais de 56% das pessoas vivem em áreas urbanas e há 536 cidades com mais de um milhão de habitantes. Uma quantidade cada vez maior de pessoas que vivem nesses contextos tem aderido à forma pós-moderna de pensar e acreditam que já não há certo ou errado, apenas opções; não existe uma verdade que se aplica a todos, pois o importante é aquilo que é verdade para mim; não há uma única fonte de autoridade; todas as vozes devem ser consideradas. Precisamos ajudar essas pessoas a entenderem que todas as nossas crenças e práticas devem ser fundamentadas na Palavra de Deus.

B. Atualmente, há 1,8 bilhão de muçulmanos no mundo. Parece fácil dizer 1,8 bilhão, mas isso representa nove vezes a população do Brasil! São pessoas que foram ensinadas desde a infância que acreditar na divindade de Jesus é cometer o pecado que não tem perdão. O próprio Mohamed conta que um dia foi levado pelo anjo Gabriel para conhecer os sete céus. Em cada céu, ele foi recebido por um profeta, sendo o primeiro o menos importante e o sétimo o mais importante. No primeiro céu, ele foi recebido por Adão, no segundo, por João Batista; no terceiro, por Jesus; no quarto, por Idra (nome dado a Sete ou Enoque); no quinto, por José; no sexto, por Arão; e no sétimo, por Moisés. Depois, ele foi recebido pelo próprio Abraão e finalmente conduzido para um encontro privado com Alá. Entre os oito profetas mencionados, Jesus é apenas o terceiro mais importante. É um grande desafio ajudar um único muçulmano a fazer de Jesus o primeiro, o último e o melhor em todas as coisas. E para isso, talvez seja necessário usar o dom do martírio. Mas tenha cuidado porque o dom do martírio você só pode usar uma vez!

C. Mais de um bilhão de hindus estão oscilando em sua adoração aos mais de 300 milhões de deuses disponíveis. Para eles, Jesus não passa de mais um avatar, uma manifestação do deus Brahma, que pode vir na forma de pessoas, como Buda ou Krishna, ou animais, como o peixe ou a tartaruga. O presidente da Associação de Rajastan da Igreja Adventista do Sétimo Dia, no Norte da Índia, relata que somente no seu território há mais de 200 milhões de habitantes, dezenas de dialetos e noventa e quatro mil vilas. Como remanescentes, somos comissionados a pregar a mensagem de Deus em cada uma delas!

D. Para mais de 700 milhões de budistas, o problema da humanidade não é o pecado, mas a ilusão da existência individual. Em outras palavras, nada é real. Tudo que você está vendo, tocando e sentido é apenas uma ilusão, uma projeção da sua mente. A solução é extinguir todos os desejos para que se perceba a não existência do eu. Falamos com budistas sobre a salvação, mas a promessa da vida eterna é interpretada como tendo origem no eu, que continua a perseguir a existência pessoal. Apresentamos um Deus pessoal que expressa emoções como amor e ira, mas isso é visto de maneira negativa porque personalidade é uma afirmação do eu. Várias tentativas são necessárias para alcançar um budista para Cristo.

Porque o que determina o nosso envolvimento na missão não é a possibilidade de concluí-la, mas a obediência à ordem do Mestre.

E. E ainda há os confucionistas, os adeptos do espiritualismo, os não religiosos, os judeus, etc.

F. Vamos admitir: o desafio de alcançar os mais de 7 bilhões de habitantes do planeta Terra com a mensagem divina para o tempo do fim (Ap 14:6-12) parece além das nossas possibilidades. A tarefa é esmagadora. De uma perspectiva humana, o rápido cumprimento da ordem de Cristo ao remanescente em algum tempo próximo parece improvável. Os nossos melhores esforços, planos, estratégias e recursos são incapazes de concluir a missão de Deus.

II. A PROMESSA DE DEUS AO REMANESCENTE

A. Se o desafio está além das nossas possibilidades, por que deveríamos continuar falando em alcançar todas as culturas, cores e comunidades? Se temos dificuldade para pregar para os que estão do outro lado da rua, por que deveríamos pensar em evangelizar até mesmo os que estão do outro lado do mundo? Porque o que determina o nosso envolvimento na missão não é a possibilidade de concluí-la, mas a obediência à ordem do Mestre. Você não se envolve na missão porque analisou tudo muito bem, fez todos os cálculos, viu que dava e decidiu encarar. Como parte do remanescente você aceita o desafio Daquele que ordenou, “importa que profetizes outra vez a muitos povos, e nações, e línguas, e reis” (Ap 10:11). Você exerce conscientemente o seu papel em um movimento que recebeu de Deus “o evangelho eterno para proclamar aos que habitam na terra, a toda nação, tribo, língua e povo” (Ap 14:6).

B. Humanamente é impossível, mas a missão não é um empreendimento humano; Deus tem o controle da missão em Suas mãos! Ele mesmo iniciou Sua missão de resgate da raça humana lá no Éden (Gn 3:15) e fez avançar cada fase desse processo para que chegássemos ao ponto atual. É exatamente por isso que Ele pode dizer com segurança “e será pregado este evangelho do reino a todo o mundo, em testemunho a todas as nações, e então virá o fim” (Mt 24:14). Não há margem para dúvidas nessas palavras. Deus vai terminar aquilo que começou. Ele prometeu.

C. Em Mateus 24:14, a expressão “será pregado” apresenta aquilo que os estudiosos do texto bíblico definem como o passivo divino. Na Bíblia, quando um verbo passivo é utilizado para descrever uma ação, mas nenhum agente é apresentado como o autor, entende-se que essa ação foi realizada pelo próprio Deus. Por exemplo, quando em Gênesis 2:1 é dito, “assim os céus, a terra e todo o seu exército foram acabados”, não é mencionado quem concluiu a criação, mas certamente entende-se que o autor da ação foi o próprio Deus. Quando Jesus disse: “Está consumado” (Jo 19:30) ou “bem-aventurados os que choram porque serão consolados” (Mt 5:4), não é dito quem consumou ou por quem os que choram serão consolados. A linguagem passiva aqui sugere novamente que o próprio Deus completou ou completará essas ações. Quando Jesus diz “e este evangelho do reino será pregado…”, nenhum agente é apresentado executando a ação descrita. Isso significa que, primariamente e em última instância, a pregação do evangelho será executada pelo próprio Deus.

A promessa divina de que esse trabalho será finalizado é a nossa garantia de que não Estamos lutando por uma causa perdida;

D. Quando aceitamos o desafio de alcançar todas as culturas, cores e comunidades com a mensagem de Deus para o tempo do fim, estamos apenas participando daquilo que Deus já está fazendo. A promessa divina de que esse trabalho será finalizado é a nossa garantia de que não estamos lutando por uma causa perdida; aqui está a certeza de que, apesar de todas as nossas impossibilidades, o evangelho será pregado, a missão será cumprida, e então virá o fim.

III. A NECESSIDADE DO REMANESCENTE

A. Como Deus fará isso? Talvez o mais importante seja lembrar que o desafio de levar o evangelho a todo o mundo não é novo, e Deus sempre teve um plano! Embora não saibamos todos os detalhes acerca de como o Senhor vai agir no tempo do fim, foi-nos revelado que:

  1. Deus atuará de maneira surpreendente – “Permiti-me dizer- -vos que o Senhor trabalhará nesta última obra de um modo muito fora da comum ordem de coisas e de um modo que será contrário a qualquer planejamento humano. Deus usará maneiras e meios pelos quais se verá que Ele está tomando as rédeas em Suas próprias mãos” (Eventos Finais, p. 203).
  2. Deus atuará de maneira simples – “Surpreender-se-ão os obreiros com os meios simples que Ele usará para efetuar e aperfeiçoar sua obra de justiça” (Eventos Finais, p. 203).
  3. Deus usará pessoas comuns – “Uma mente comum, acostumada a obedecer ao ‘Assim diz o Senhor’, está mais bem habilitada para a obra de Deus, do que aqueles que têm capacidades mas não as empregam corretamente. Os que não percebem a necessidade do que deve ser feito serão passados por alto, e os mensageiros celestiais trabalharão com os que são chamados de pessoas comuns, habilitando-as a levar a verdade para muitos lugares” (Eventos Finais, p. 205).
  4. Deus enviará o Espírito Santo –“Os obreiros serão antes qualificados pela unção de Seu Espírito do que pelo preparo das instituições de ensino. Homens de fé e oração serão constrangidos a sair com zelo santo, declarando as palavras que Deus lhes dá” (Eventos Finais, p. 205).

B. Como podemos participar? Se quisermos participar com Deus de Sua missão de alcançar todas as culturas, cores e locais, precisamos nos lembrar de que missão é sempre feita em contexto. Em outras palavras, é preciso conhecer os hábitos de vida e as formas de pensar das pessoas que vivem na vila, bairro, cidade ou país onde vamos trabalhar. Só assim poderemos pregar o evangelho de uma maneira que faz sentido para elas. Além disso, só teremos a chance de pregar para essas pessoas depois de construirmos um relacionamento de confiança. Portanto, vamos nos aproximar das pessoas, não como juízes, mas como aprendizes; vamos ajudá-las nas necessidades delas; e vamos mostrar como a Bíblia se relaciona com aquilo que é importante para elas.

C. Ao mesmo tempo, vamos nos lembrar de que o Senhor nos enviou, mas não sozinhos. Ele disse: “Assim como o Pai me enviou, também eu vos envio. E soprando sobre eles, disse-lhes: ‘recebei o Espírito Santo’” (Jo 20:21). Não importa quão inteligente você é, quantos títulos você tem ou quanta experiência acumulou; o Espírito Santo é a sua única chance de ser útil para Deus.

CONCLUSÃO:

Então, se você está levando a sério esse assunto de pregar o evangelho eterno a todas as culturas, cores e comunidades, chegou a hora de você se ajoelhar na presença de Deus e dizer: “Senhor Jesus, tenha misericórdia de mim, porque sou pecador. Perdoe os meus pecados. Encha-me com o Espírito Santo e use-me para a glória do Seu nome, a edificação da Sua igreja, a mobilização de pessoas para a missão e a salvação de muitas pessoas para o reino dos céus”. Quantos querem viver essa experiência? Você pode levantar a sua mão? Vamos orar!


O pastor Silvano Barbosa é Ph.D em Missiologia pela Universidade Andrews. Atualmente serve como Professor de Teologia Aplicada no Centro Universitário Adventista de São Paulo (UNASP-EC).

Facebook Comments Box

sobre Portal Adventista Baixo Guandu

"É um grande privilégio de elaboração do site PORTAL ADVENTISTA DE BAIXO GUANDU/ES, no dia 18 de Setembro 2014 para a divulgação aqui na cidade local, regional e em todos os Países. Nosso Objetivo é divulgarmos os programas, materiais entre outros que se realizam na Igreja Adventista do Sétimo Dia, em prol do Evangelho Eterno, assim diz o Senhor: “ Breve Jesus Cristo Voltará” Apocalipse 22:1-21. Portanto não será então em benefício próprio, sim a necessidade desse divulgação nessa cidade que todos se entregam sua vida a Jesus Cristo, nosso Salvador. Att: Thiago Amaral de Oliveira - Baixo Guandu/ES."

Além disso, verifique!

Sermão Dia Mundial do Jovem Adventista 2021 – Pr. Carlos Campitelli

Chegou a Hora! Acompanhe esta mensagem especial do pastor Carlos Campitelli preparada com carinho pra …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 + dois =

×

Sejam Bem-Vindos!

Sejam Bem Vindos ao Nosso Portal Adventista de Baixo Guandu/ES. Estamos a Disposição 24 Horas.

× Fale Conosco 24 horas!